Após hard fork, Ethereum chega ao segundo lugar no ranking de blockchains da China

O grupo de trabalho de tecnologia apoiado pelo estado da China lançou sua décima quinta avaliação da tecnologia blockchain, na qual a Ethereum aparece em segundo lugar no ranking das blockchains após seu recente hard fork.

O Centro de Informação e Desenvolvimento da Indústria (CCID) divulgou a lista em 6 de dezembro, classificando 35 ativos no total.

No ranking, a EOS manteve seu primeiro lugar, a Ethereum passou de terceiro para segundo, trocando de posição com o Tron (TRX). A rede do Bitcoin (BTC) ocupa o nono posto, enquanto a Ripple nem chegou ao top ten, amargando a 18ª colocação.

Top 20 blockchain networks per CCID’s 15th assessment

As 20 principais redes blockchain de acordo com a 15ª avaliação da CCID. Fonte: CCID

Subida da Ethereum

A promoção da Ethereum pode ser atribuída com um grau moderado de certeza a sua recente atualização de rede. Antes do hard fork, o cofundador da Ethereum, Vitalik Buterin, afirmou que a rede atingiria mais de 3.000 transações por segundo após a atualização.

A atualização também teve amplo suporte, com várias exchanges populares anunciando que atualizariam seus nodes antes do hard fork. Ainda assim, alguns especialistas afirmam que a atualização não é suficiente e que o Ethereum está longe de se tornar o “computador mundial” como foi vendido.

Adoção da blockchain na China

Reportagens recentes sugerem que a blockchain está sendo cada vez mais desenvolvida e adotada na China.

Nesta segunda-feira, o Cointelegraph informou que a China planeja realizar o primeiro teste no mundo real de sua moeda digital de banco central e que o Banco da China emitiu 20 bilhões de yuans (US$ 2,8 bilhões) em títulos baseados em blockchain para pequenas e microempresas.