Fundo Soberano de Abu Dhabi Investe em exchange de criptomoedas

O décimo terceiro maior fundo soberano do mundo, Mubadala Capital Investment baseado em Abu Dhabi, fez um investimento na exchange de criptomoeda MidChains.

Como o jornal Gulf News, dos Emirados Árabes Unidos, informou em 11 de agosto, a Mubadala Investment Capital investiu na MidChains, uma plataforma de negociação de moeda digital com lançamento previsto para o final de 2019 em Abu Dhabi. A exchange estará localizada no centro financeiro internacional e na zona franca do Mercado Global de Abu Dhabi (ADGM).

Comentando sobre o investimento, Basil Al Askari, co-fundador da MidChains, disse ao Gulf News:

“Somos uma exchange. Você pode pensar nisso de forma semelhante a uma bolsa de valores, mas onde você está negociando ações, para nós, é criptomoedas. Também realizamos atividades de custódia, o que significa que também podemos armazenar, liquidar e executar transações de criptomoedas em nome de nossos clientes ”.

Segundo a empresa, as partes interessadas estrangeiras já demonstraram interesse em usar a plataforma de negociação da MidChain. Al Askari também disse que vê o Bitcoin ( BTC ) como uma nova classe de investimento, em vez de substituir as atuais moedas fiduciárias.

No início deste ano, a Autoridade Reguladora de Serviços Financeiros da ADGM autorizou a MidChain a operar uma exchange de criptomoedas. Isto supostamente significa que, uma vez lançada, a plataforma será totalmente regulada pela autoridade.

Em junho, a exchange de criptomoedas baseada no Emirados Árabes Unidos e a custodiante Arabian Bourse (ABX) - uma joint venture do GMEX Group e Arshad Khan - receberam aprovação regulamentar inicial do ADGM. A ABX deve se basear no Prédio das Autoridades do Mercado Global de Abu Dhabi - supostamente para se beneficiar do arcabouço regulatório proativo de criptomoedas da cidade.

BitOasis - outra exchanges de criptomoedas baseada nos Emirados Arabes - garantiu a aprovação preliminar dos reguladores financeiros em abril. Para obter uma licença, a exchange precisa atender a requisitos técnicos e operacionais específicos, o que espera fazer no segundo semestre do ano.