Abra impõe restrição de posse de EOS e 4 outras altcoins a cidadãos americanos

A Abra, serviço de carteira cripto sediado na Califórnia, restringirá a posse de EOS e outras altcoins a usuários dos EUA em agosto.

A Abra terá que impor algumas modificações em seu sistema devido à contínua incerteza regulatória nos Estados Unidos, de acordo com um post de blog de 25 de julho. Notavelmente, os usuários americanos não poderão mais deter uma variedade de criptomoedas, incluindo o EOS (EOS).

Usuários dos EUA não podem possuir certas altcoins

Especificamente, a plataforma começará a migrar seus ativos sintéticos inteligentes baseados em contrato para uma solução de carteira hospedada nativa, acrescentando que esses ativos são definidos na Abra como algo diferente de Bitcoin (BTC), Ether (ETH), Litecoin (LTC) e Bitcoin Cash (BCH).

Essa migração terá um impacto direto em alguns serviços para usuários dos EUA, incluindo a restrição de manter cinco criptomoedas. Ou seja, os americanos não serão elegíveis para EOS, QTUM, Bitcoin Gold (BTG), OmiseGO (OMG) e Status (SNT) depois de 29 de agosto de 2019, disse a Abra.

A empresa acrescentou que quaisquer saldos remanescentes nesses ativos após essa data serão automaticamente convertidos em Bitcoin no aplicativo.

Mas com Bitcoin e algumas grandes altcoins está tudo bem

Assim sendo, após 29 de agosto, os moradores de Nova York só poderão ter: Bitcoin, Ether, Litecoin e Bitcoin Cash na Abra, afirmou a empresa.

Além disso, os usuários da Abra de Nova York não poderão mais usar transferências ACH, bem como transferências eletrônicas ou American Express para depósitos e saques após 29 de agosto de 2019.

Ao mesmo tempo, espera-se que o processo de migração seja sem traumas para a maioria dos usuários dos EUA e permitirá que os usuários continuem gerenciando operações sem interrupções. Porém, o processo pode fazer com que algumas operações fiquem indisponíveis por alguns minutos, observa o post do blog.

Recentemente, a Circle, importante empresa de pagamentos em cripto, anunciou o lançamento de uma nova subsidiária nas Bermudas para atender clientes não-americanos de sua plataforma de negociação Poloniex.

No anúncio, a Circle revelou seus planos de introduzir novos serviços de cripto como parte da expansão para as Bermudas. No entanto, muitos desses novos serviços não estarão disponíveis nos EUA, disse a empresa.