Incêndio em fazenda de mineração de US$ 10 milhões é o novo vilão da oscilação na taxa de hash do Bitcoin

A rede Bitcoin (BTC) sofreu com mais turbulências em 30 de setembro, enquanto surgiram evidências de um incêndio que destruiu US$ 10 milhões em equipamentos de mineração.

Aparece vídeo do suposto incêndio de mineradora de Bitcoin

De acordo com Marshall Long, um dos primeiros mineradores ativos de Bitcoin, o gigantesco centro de dados da empresa de mineração Innosilicon começou a queimar na segunda-feira. Os detalhes ainda são escassos, mas apareceu um vídeo mostrando que as máquinas seguiam trabalhando, apesar de estarem pegando fogo.

Dovey Wan, sócio fundador da Primitive Ventures, holding de criptoativos, acrescentou que o valor total dos equipamentos envolvidos gira em torno de US$ 10 milhões.

Até o momento, a Innosilicon não havia feito nenhum comentário público, nem oficialmente nem em redes sociais.

Instabilidades na taxa de hash após elevações

Os comentaristas das redes sociais foram rápidos em expressar preocupações de que o fogo foi o responsável por uma relatada queda na taxa de hash do Bitcoin.

No dia em que ocorreu o incêndio, as estimativas do poder de computação em rede envolvido nas transações de processamento caíram de 86 quintilhões de hashes por segundo (h/s) para 82 quintilhões de h/s.

Como observado anteriormente no entanto, as estimativas da taxa de hash fornecem apenas uma visão limitada da saúde geral do Bitcoin. Na semana passada, o que parecia ser uma queda na taxa de hash de 40%, mais tarde foi amplamente ignorado pelos gráficos técnicos.

Como o Cointelegraph reportou anteriormente, a estação chuvosa na província de Sichuan, no noroeste da China, causou desastre em pelo menos mais uma fazenda de mineração de Bitcoin em 20 de agosto.