A escalabilidade da blockchain pode ser um problema para seu investimento

Connor Blenkinsop
05 DEZ 2019
A escalabilidade da blockchain pode ser um problema para seu investimento

Partnership Material

1.

Qual é exatamente o problema?

Criptomoedas e blockchain estão ganhando popularidade e o conhecimento do público, mas existe o risco da tecnologia não conseguir acompanhar a demanda.

Os maiores nomes do negócio, Bitcoin e Ethereum, usam blocos para processar transações. No entanto, nos primeiros dias de seu desenvolvimento, o tamanho máximo desses blocos era limitado - no caso do Bitcoin, a apenas 1 MB.

Embora esse mecanismo tenha sido projetado para tornar o Bitcoin mais seguro, ele não ajudou a rede a se tornar à prova de futuro. Com cada transação, vêm os dados e, com um tamanho máximo de 1 MB por bloco, apenas poucos pagamentos podem ser processados ​​ao mesmo tempo.

No máximo, o Bitcoin pode lidar com cerca de três a quatro transações por segundo. Mas, para que a criptomoeda se tornasse mainstream, seria necessário processar centenas de milhares de transações por segundo, para garantir que a economia pudesse continuar em movimento sem grandes atrasos para consumidores e empresas.

Infelizmente, o Ethereum tem um problema semelhante - como admitiu o próprio co-fundador Vitalik Buterin. A rede tem uma capacidade máxima de 15 transações por segundo e ele alertou que, se o status quo permanecer, a infraestrutura da indústria será incapaz de lidar com isso.

2.

Então...por que não apenas aumentar a capacidade?

Infelizmente, isso não é tão simples quanto lançar uma atualização noturna.

Embora a maioria das pessoas no mundo das criptomoedas concorde que as estruturas e a escalabilidade precisam ser tratadas para o setor ter a chance de superar as instituições financeiras fiduciárias, apresentar soluções exige tempo e muito esforço.

Em parte, isso ocorre porque qualquer proposta, antes de ser aplicada, precisa ter o apoio de mineradores, programadores, empresas e outras partes interessadas - um processo que pode levar meses e, mesmo assim, terminar em desacordo.

Um bom exemplo vem do Bitcoin, onde houve discussões ativas para alterar o tamanho do bloco. Aqui estava o problema: enquanto alguns se contentavam em dobrá-lo para 2 MB, outros queriam ser mais ousados ​​e ir para 8 MB, ou até 32 MB, sem que nenhuma proposta ganhasse tração suficiente para ser adotada.

Em maio de 2018, o Bitcoin Cash (BCH) ativou com êxito uma atualização que quadruplicou seu tamanho de bloco para 32 MB. Espera-se que o aumento permita que a criptomoeda atenda à demanda futura e prepare o caminho para a introdução de novos recursos. No entanto, os críticos argumentaram que as mudanças tornam os full nodes operacionais mais caros, e isso, por sua vez, poderia causar menos descentralização na rede. Os apoiadores do BCH, que foram o resultado de um hard fork em agosto de 2017, dizem que seu tamanho de bloco aprimorado é uma das razões pelas quais é muito superior ao Bitcoin.

3.

Que outras soluções existem?

Várias idéias foram apresentadas para ajudar empresas como Bitcoin e Ethereum a crescerem.

Por exemplo, a Lightning Network é uma camada secundária que opera sobre uma blockchain. Em teoria, ela pode processar um número ilimitado de transações - pagamentos que não são registrados publicamente na blockchain. Os saldos finais são adicionados apenas ao livro razão quando todas as transações foram concluídas. Embora haja esperança de que isso resolva os problemas de escalabilidade do Bitcoin, há desvantagens - principalmente em relação à segurança. Pode ser que esse protocolo acabe sendo o padrão para pagamentos diários menores - liberando a blockchain para transações mais substanciais e permitindo que as taxas caiam.

Buterin, que mencionamos anteriormente, também apresentou soluções de escalabilidade para a blockchain. A ideia, conhecida como Plasma Cash, permitiria que todos os usuários se concentrassem apenas nos blocos que contêm as moedas com as quais se importam - ajudando a otimizar os dados. Segundo Buterin, essa solução também pode impedir transações fraudulentas e que os investidores percam dinheiro se uma exchange for hackeada.

4.

Há algum argumento a favor de uma escalada off-chain?

Aplicativos descentralizados não precisam ser totalmente executados em uma blockchain - o que significa que muitos de seus processos podem ser processados ​​"off-chain".

De certa forma, isso é comparável aos aplicativos que você pode usar no seu PC ou smartphone. Embora esses softwares possam depender de uma conexão com a Internet, determinadas tarefas são concluídas offline - impedindo que os servidores de uma empresa sejam sobrecarregados com o tráfego.

As soluções de dimensionamento off-chain (fora da cadeia) garantiriam que certas transações fossem concluídas sem mineradores, permitindo que apenas informações essenciais fossem sincronizadas. Melhorias e upgrades também podem ser acordados e implementados sem o árduo processo de obter a aprovação de todas as partes interessadas na comunidade, e novos recursos podem ser distribuídos sem que toda a blockchain seja interrompida.

Claro, existem desvantagens. As transações fora da cadeia seriam mais difíceis de verificar pelo público e também poderiam criar problemas de compliance. Os usuários também podem ficar desiludidos se não derem uma opinião nessas atualizações.

De fato, alguns argumentam que o futuro das criptomoedas pode estar completamente livre da blockchain. Plataformas como Byteball e IOTA, não usam blocos e, em vez disso, novas transações são responsáveis ​​por confirmar pagamentos anteriores. Os apoiadores acreditam que essa poderia ser a resposta para resolver os problemas de velocidade, segurança, escalabilidade, privacidade e sustentabilidade, que atualmente enfrentam criptomoedas baseadas em blockchain.

5.

O que vai acontecer se nada mudar?

Não resolver definitivamente os problemas de escalabilidade da blockchain pode ter ramificações de longo alcance.

A menos que uma ação seja tomada, é provável que as transações demorem mais e mais para serem processadas. Em uma economia digital, em que pagamentos fiduciários podem ser enviados e recebidos instantaneamente, as plataformas blockchain precisam oferecer o mesmo para serem consideradas uma alternativa viável - mesmo se oferecerem uma variedade de outras vantagens atraentes. Caso contrário, há um risco real de que mesmo os mais fervorosos entusiastas das criptomoedas abandonem completamente essa tecnologia.

A diminuição do número de usuários pode fazer os preços das principais criptomoedas despencarem, com criptoativos que antes valiam milhares de dólares, se tornarem uma fração do que eram antes.

Também pode significar que a centralização chegou para ficar, com todas as imperfeições que motivaram o surgimento da comunidade blockchain em primeiro lugar. A partir daqui, quem sabe quantas plataformas brilhantes podem nunca ser concretizadas.

A Fractonet trabalhou em um "redesenho completo" da blockchain para eliminar os problemas de escalabilidade de uma vez por todas. Com um tamanho de bloco de 1,5 GB, a startup diz que conseguiu processar 33.888 transações por segundo durante o teste funcional. A empresa alega que seu protocolo pode armazenar dados na blockchain, bem como transações com imutabilidade real, o que significa que as empresas não precisam mais confiar informações confidenciais a terceiros.

Ele criou um novo protocolo chamado RIFT, que facilita a sincronização desses dados e diz que o tamanho maior do bloco reduzirá os custos associados às transações e mineração. A Fractonet diz que a base do blockchain já está funcional, abrindo caminho para diferentes recursos, como DApps, sidechains, contratos inteligentes e a possibilidade de ter dados acessíveis apenas por chave privada com diferentes níveis de acesso.

Aviso Legal. O Cointelegraph não endossa nenhum conteúdo ou produto desta página. Embora nosso objetivo seja fornecer a você todas as informações importantes que poderíamos obter, os leitores devem fazer suas próprias pesquisas antes de tomar qualquer ação relacionada à empresa e assumir total responsabilidade por suas decisões, este artigo não pode ser considerado um conselho de investimento.