Terceiro homem mais rico do mundo nega envolvimento com empresa de criptomoedas

Bernard Arnault, o terceiro homem mais rico do mundo, negou seu envolvimento na criação de uma nova empresa belga no mercado de criptomoedas Abesix Belgique.

Arnault foi anunciado  co-fundador da Abesix pela publicação comercial belga De Tijd em 28 de agosto. Posteriormente após a publicação do artigo, De Tijd publicou uma atualização que Arnault formalmente negou o relatório.

De acordo com De Tijd, a Abesix comercializaria seis grandes criptomoedas, incluindo Bitcoin, Ether (ETH), XRP, Bitcoin Cash (BCH), Litecoin (LTC) e Dogecoin (DOGE).

De acordo com informações adquiridas por De Tijd, o jovem empresário de Bruxelas Emmanuel Wouters também está envolvido na fundação da Abesix. A própria Abesix se recusou a divulgar mais informações sobre o assunto.

LVMH não é inexperiente em relação à blockchain

Arnault, 70 anos, cujo patrimônio líquido estimado é de US $ 96,6 bilhões, segundo o índice de bilionários da  Bloomberg, é CEO da maior empresa de artigos de luxo do mundo, a Louis Vuitton SE, é conhecido como LVMH.

O homem mais rico da França não é novo na área da tecnologia blockchain. Conforme relatado pela primeira vez em março de 2019, LVMH uniu-se às grandes empresas de blockchain ConsenSys e Microsoft Azure para desenvolver uma plataforma blockchain para rastrear seus produtos. O novo produto blockchain, Aura, está programado para começar a funcionar com duas grandes subsidiárias da LVMH, a Louis Vuitton e a Parfums Christian Dior.