Quando os governos ser tornam intrusivos, o Bitcoin dá a saída

Governos de todo o mundo estão usando a tecnologia e os bancos para ficar de olho em seus cidadãos. Moedas descentralizadas como o Bitcoin podem ser a única saída para as pessoas que desejam manter sua privacidade.

Europa e MiFiD

A Diretriva de Mercado de Instrumentos Financeiros da União Europeia (MiFiD) deve ser implementada a partir de janeiro de 2018. Os clientes que negociem em títulos terão de fornecer seus números de passaporte a todas as plataformas em que se registrarem.

As casas de câmbio estão em transição para plataformas prontas para a MiFiD e começaram a coleta de dados. Se você não fornecer seu número de passaporte e outros dados pessoais, as casas de câmbio podem bloquear suas transações. No que diz respeito às normas Know-Your-Customer, nenhum dado é considerado privado.

EUA rastreia cidadãos em todo o mundo

Os EUA, através da promulgação da Lei de Conformidade Tributária de Contas Estrangeiras (FATCA), acompanham as contas de seus cidadãos em todo o mundo. Os cidadãos dos EUA, residentes ou não, têm informações como seus números de seguro social e ativos totais recolhidos pelos bancos e submetidos ao IRS. O governo dos EUA pressionam os bancos estrangeiros para garantir o cumprimento. Isso é feito ameaçando bancos que não estejam em conformidade com uma penalidade de retenção em suas transações nos EUA.

O IRS está até mesmo tentando usar ferramentas como Chainalysis para rastrear transações Bitcoin. Não há como escapar dos longos braços do Tio Sam, exceto renunciando à sua cidadania, o que alguns americanos ricos fizeram.

Índia e Aadhar

O governo da Índia parece estar avançando com o objetivo de tornar o Aadhar onipresente. O cartão Aadhar, que envolve a coleta de biometria, como impressões digitais e varreduras de íris, tornou-se obrigatório para tudo, desde receber subsídios até a apresentação de declarações de imposto de renda. Em seu novo impulso, o governo também ordenou a ligação de contas bancárias e números móveis ao seu número único Aadhar.

Seu lema é um bilhão, um bilhão, um bilhão - um bilhão de contas bancárias vinculadas a bilhões de números móveis ligados a bilhões de números Aadhar. Privacidade? Esqueça disso, especialmente quando se trata de dinheiro. A desmonetização não é o único ataque do governo indiano aos direitos das pessoas.

Nada a esconder?

A atitude dos governos quando questionada sobre a necessidade de privacidade dos cidadãos é que apenas os criminosos precisam esconder coisas do governo. Várias organizações levaram a questão da privacidade aos tribunais e estão lutando uma batalha para salvaguardar os direitos dos cidadãos, mas os governos estão, no entanto, afastando a privacidade dos cidadãos. Felizmente, o Bitcoin é fundado na principal premissa de que as transações não podem ser censuradas de forma alguma. Se Alice quer enviar alguns de seus Bitcoins para Bob, ela poderá fazer isso independentemente do que o governo pense e deseje que ela faça.


Siga-nos no Facebook