Ataque de 51% ao Vertcoin não tem 'motivo aparente', pois os hackers perderam até US$ 4.000

Hackers desconhecidos tentaram lançar um segundo ataque de 51% ao Vertcoin (VTC), mas acabaram pagando pelo privilégio de seus próprios bolsos.

Como James Lovejoy, principal mantenedor do Vertcoin, revelou em um relatório sobre o ataque em 2 de dezembro, uma entidade maliciosa direcionou a exchange de criptomoedas Bittrex para que manipulasse a blockchain do Vertcoin.

Hackers pagaram ao menos US$ 440 para atacar o VTC

O Vertcoin se separou do Bitcoin (BTC) em 2014 e sofreu um grande ataque em dezembro do ano passado, durante o qual hackers roubaram fundos no valor de US$ 100.000.

Desta vez, no entanto, parece que a invasão teve muito menos sucesso.

"Com base nos preços de mercado durante a preparação do ataque e na dificuldade de produção de bloqueios pelo atacante, estimamos que quem nos atacou gastou entre 0,5-1 BTC para realizar o ataque", explicou Lovejoy.

Por conta disso, os hackers parecem ter uma sofrido um prejuízo líquido entre 0,06 BTC (US$ 440) e 0,56 BTC (US$ 4.100):

“O valor total do bloco que recompensa o ataque recebido é de 13825 VTC (cerca de 0,44 BTC). Dado que o ataque provavelmente não era lucrativo, com base apenas em recompensas em bloco, a motivação para o ataque segue incerta.”

Brigando pelas sobras

A Bittrex é o principal local de negociação de VTC. Depois de perceber atividades suspeitas, Lovejoy solicitou à exchange que suspendesse os pares de VTC, o que pareceu limitar o sucesso do ataque.

“Dado que o reorganização era um pouco maior do que 600 blocos (requisito de confirmação da Bittrex para o VTC), é possível que a Bittrex fosse o alvo original, mas a parte de ataque de gasto duplo foi abortada devido à Bittrex desabilitar sua carteira antes que o fork pudesse ser liberado", acrescentou ele.

O par VTC/USD caiu cerca de 7%, para US$ 0,23 nas últimas 24 horas, mas a mudança é insignificante no contexto das máximas de 2019, de US$ 0,61, alcançadas em junho.

Como o Cointelegraph relatou, o Bitcoin permanece muito mais imune a ataques de 51%, graças à sua estrutura comprovadamente descentralizada e taxa de hash incomparável.

Como observou anteriormente o conhecido especialista Andreas Antonopoulos, com o Bitcoin, esse ataque custaria cerca de US$ 1 bilhão por uma ofensiva de 10 minutos, algo que por si só é praticamente impossível de alcançar.