Startup dos EUA arrecada U$S 14,1 milhões para rede de pagamentos em blockchain para varejistas

A startup blockchain situada em Nova York, Flexa, levantou US$ 14,1 milhões para desenvolver uma rede de pagamentos para varejistas. O desenvolvimento foi anunciado em um comunicado de imprensa publicado em 11 de abril.

De acordo com o comunicado, a Flexa arrecadou US$ 14,1 milhões em recursos de participantes como o fundo inicial 1kx, as empresas de investimento Access Ventures e Nima Capital e o fundo de hedge Pantera Capital, que recentemente revelou que estava perto de concluir o financiamento para seu terceiro fundo de risco, já arrecadando US$ 160 milhões.

A empresa pretende criar uma rede de pagamento para varejistas que reduziria os custos, as despesas gerais e as fraudes por meio de assentamentos baseados em blockchain. A Flexa também está planejando lançar um aplicativo móvel através do qual os clientes poderiam realizar operações com criptomoedas que já possuem.

Tyler Spalding, cofundador e CEO da Flexa, disse que "os benefícios antifraude e de custo dos pagamentos globais em criptomoedas são enormes, mas há muitas barreiras para a adoção comum para comerciantes e consumidores. A Flexa vai mudar isso".

A tecnologia Blockchain tornou-se amplamente aplicada no setor de varejo. Hoje, a cadeia de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos Albertsons Companies anunciou que usará a plataforma blockchain Food Trust, da IBM, para rastrear a cadeia de suprimento de alface romana, mas pretende se expandir para outros produtos.

No mês passado, o US Pork Board fez uma parceria com a startup blockchain mature.io para testar uma plataforma blockchain para cadeias de suprimento de carne suína. A colaboração permitirá ostensivamente ao Conselho usar um ecossistema baseado em blockchain para monitorar e avaliar práticas de sustentabilidade, padrões de segurança alimentar, saúde do rebanho e proteções ambientais.