Primeiro dia das Audiências do Libra: Legisladores acham difícil confiar no Facebook

O Comitê Bancário do Senado dos Estados Unidos levantou uma onda de ceticismo sobre o projeto de cripto do Facebook, o Libra, durante o primeiro dia de depoimentos em 16 de julho.

A nova audiência, chamada “Examinando a Proposta Criptomoeda do Facebook e seu Impacto nos Consumidores, Investidores e no Sistema Financeiro Americano” está marcada para as 10:00 ET de 17 de julho.

Como o segundo dia de audiência jpa está chegando, o Cointelegraph publica uma breve recapitulação das audiências de ontem.

No primeiro dia, o Comitê Bancário do Senado atacou David Marcus, chefe da carteira de cripto do Facebook, a Calibra, levantando grandes preocupações sobre o Libra, incluindo questões de confiança, privacidade, segurança e regulamentação.

O problema da confiança aparentemente prevaleceu durante a audiência, já que o senador Sherrod Brown considerou o Facebook “perigoso” nas primeiras observações. O senador expressou ainda mais seu ceticismo, expressando dúvidas de que as pessoas vão confiar “seu suado dinheirinho” ao Facebook.

Elizabeth Warren, senadora e candidata presidencial democrata, destacou a falta de evidências de que o Facebook não planeja vincular os dados de usuários da plataforma a suas transações monetárias e guardar esses registros. Ela disse:

"Não estou certa de sua afirmação de que você não pode ver nenhum motivo no momento porque não haveria compartilhamento de dados entre essas plataformas."

A senadora Martha McSally elevou o nível das preocupações de Warren, apontando que o "histórico de falha, violação e enganação do Facebook" é uma causa suficiente para o comitê não confiar na plataforma.

Além disso, o presidente do Comitê Bancário do Senado, Mike Crapo, levantou uma questão sobre por que a Libra Corporation decidiu se registrar na Suíça. Por sua vez, Marcus assegurou ao comitê que a associação também se registraria junto aos reguladores dos EUA. Especificamente, Marcus enfatizou a intenção do Facebook de estar em conformidade com a Rede de Repressão aos Crimes Financeiros dos EUA (FinCEN) na distribuição de sua stablecoin Libra.

Na audiência, Marcus destacou o papel do Libra na liderança global dos EUA em uma aparente tentativa de mitigar as preocupações crescentes sobre o projeto. Ele alertou que, se os EUA não se moverem sobre o assunto, o mundo acabará vendo outra iniciativa de cripto que seria controlada por outra pessoa, cujos valores são "radicalmente" diferentes.

Nesta terça-feira, o líder da minoria americana Kevin McCarthy expressou críticas ao Libra, enquanto elogiava a maior criptomoeda, o Bitcoin (BTC), que caiu para US$ 9,1 mil hoje, com uma perda de cerca de 30% nos últimos sete dias.