US DOE dedica US$ 1,05 milhão para desenvolver uma plataforma de gerenciamento de energia baseada em blockchain

O Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) concedeu um subsídio no valor de US$ 1,05 milhão para organizações que trabalham para comercializar uma plataforma de transação de energia baseada em blockchain.

Da gestão à troca de energia

A notícia vem de um comunicado de imprensa de 9 de agosto compartilhado pela empresa de energia ComEd, uma das quatro organizações beneficiárias relatadas da doação. Os outros são a Universidade de Denver, Virginia Tech e BEM Controls, uma empresa especializada em software de gerenciamento de energia. 

O novo projeto é supostamente uma continuação do trabalho financiado pelo DOE da BEM Controls em software para aumentar a eficiência energética em edifícios. Este último subsídio é para expandir e promover um novo mercado de energia baseado em blockchain no qual o ComEd irá usar seu Grid of the Future Lab para demonstrar a funcionalidade do novo sistema.

A nova iniciativa deverá se desenvolvida por mais três anos.

Blockchain para uma nova grade de energia

Segundo o Dr. Amin Khodaei, Presidente do Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação da Universidade de Denver:

“A crescente proliferação de recursos energéticos distribuídos exige estruturas de gestão avançadas que suportem as comunicações peer-to-peer, ao mesmo tempo que são rápidas, escaláveis ​​e seguras [...] Agora é tempo de desenvolver e demonstrar as tecnologias que podem tornar mais sustentável e sustentável. futuro resiliente possível ”.

De acordo com o comunicado de imprensa, a BEM Controls citou a segurança de uma ampla gama de transações como a principal razão para a implementação do blockchain em suas plataformas. 

O DOE demonstrou crescente interesse no uso de blockchain em aplicações de redes de energia. Como previamente relatado , em janeiro, o departamento anunciou US$ 4,8 milhões em financiamento para a investigação tecnologia incluindo blockchain para fins como proteger os dados dos sensores de geração de energia fósseis.

Em abril, o DOE anunciou uma parceria com a empresa de segurança Taekion, do Colorado, para implantar o blockchain na segurança da usina.