EUA concede patente para sistema de registro de disparo de arma de fogo em blockchain

Dois inventores americanos ganharam uma patente para um sistema de registro baseado em blockchain para dados balísticos.

O Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos concedeu a dois inventores - Jason Palazzolo e Kevin Barnes - uma patente para um “aparato e sistema de gravação ambiental de armas de fogo” em 23 de julho.

Isso aparentemente poderia incluir vários dispositivos de gravação, incluindo uma câmera, um microfone e um módulo de sensor espacial que pode registrar a velocidade, as medições espaciais e os dados de aceleração.

O arquivo afirma que um banco de dados ou rede blockchain pode ser usado para armazenar ou ser associado a qualquer um dos dados reunidos pelos mecanismos.

 

The filing states that a blockchain database or network could be used to store or be associated with any of the data gathered by the mechanisms.

Justifire e evidência para auto-defesa

De acordo com o LinkedIn, Jason Palazzolo é o fundador e CEO de uma empresa chamada Justifire. Em seu website, Justifire anuncou um produto chamado “caixa preta para sua arma de fogo”. O dispositivo em destaque é preso ao cano de uma pistola e contém os mesmos recursos mencionados na patente - gravação de vídeo, áudio e espacial e coleta de dados.

O site alega que o objetivo desta tecnologia é fornecer prova de autodefesa, dizendo: "Estes dados valiosos podem ser usados por seu proprietário como prova de um evento onde a ação letal foi necessária." Justfire adicionalmente afirma que só será capaz de acessar as informações criptografadas, por padrão:

“Dados e vídeos que envolvam uma ação violenta contra outro ser humano serão automaticamente reconhecidos pelo dispositivo e criptografados instantaneamente, tornando-se inacessíveis a todas as partes, exceto à Justifire Technologies LLC. Os dados serão fornecidos ao proprietário do dispositivo somente por meio de solicitação legal específica, impedindo que qualquer parte envie o público para ações ilegais”.

Monitoramento de armas baseado em blockchain

Como previamente reportado pelo Cointelegraph, o representante do Estado de Missouri Nicholas Schroer propôs uma lei em 2017 para tornar ilegal o monitoramento de armas baseadao em blockchain. O projeto de lei, intitulado "Restrições ao uso da tecnologia de rastreamento de armas de fogo", afirmou:

"É ilegal exigir que uma pessoa use ou esteja sujeita à tecnologia eletrônica de rastreamento de armas de fogo ou divulgue qualquer informação identificável sobre a pessoa ou a arma de fogo da pessoa com o propósito de usar a tecnologia eletrônica de rastreamento de armas."

No entanto, o projeto de lei incluía exceções a essa política, especificamente para agentes da lei, comerciantes que usavam registros distribuídos para relatar vendas e proprietários de armas de fogo que expressamente emitiram uma autorização por escrito para monitorar suas armas.