Uruguai vai desenvolver regulamentos de cripto focando a inovação

A Câmara de Fintech do Uruguai anunciou a criação de um comitê especial para o desenvolvimento da estrutura de regulação de cripto, reportou o BNamericas na terça-feira, 19 de junho.

O comitê promoverá a inovação de modo a ajudar a fortalecer e desenvolver o sistema financeiro do país. Isso incluirá a luta contra a lavagem de dinheiro, o terrorismo ou o tráfico de drogas, além de tornar a indústria mais transparente.

Embora o Uruguai ainda não tenha desenvolvido regulamentações e padrões específicos para moedas digitais, a câmara de tecnologia financeira está convidando organizações, consultores, empresários e funcionários do governo para colaborar com eles.

O ex-presidente e fundador da câmara de influência do Uruguai, Sebastián Olivera, disse ao BNamericas que as propostas de regulamentação passarão por canais institucionais estabelecidos. Ele disse que a câmara pretende atrair investimentos e inovação na indústria local e continuar promovendo o Uruguai como um polo tecnológico regional. Olivera adicionou:

"Percebemos que nenhuma atividade pode ser desenvolvida fora da esfera regulatória, e isso é particularmente verdadeiro quando falamos sobre o sistema financeiro. Por essa razão, estamos nos concentrando em colaborar com o regulador e todos os outros envolvidos. Dentro da fintech comunidade sonhamos que o Uruguai seja o 'vale cripto' da América Latina".

No mês passado, Mario Marcel, presidente do Banco Central do Chile, disse que está considerando regulamentar a criptomoeda no país para monitorar os riscos. Ele afirmou que “incorporar a regulamentação permitirá ter um registro dos participantes dessas atividades e, assim, ter informações para monitorar os riscos associados”.

As autoridades do Cazaquistão pareciam estar abertas às inovações cripto e blockchainplanejando aprovar regras para os regulamentos de cripto neste verão. O governador do Centro Financeiro Internacional de Astana, Kairat Kaliyev, disse que o centro está trabalhando com empresas internacionais para desenvolver regulamentação apropriada, e também está fornecendo assistência financeira para apoiar a inovação em tecnologia financeira no país.