Universidade de Malta lança o fundo de bolsas blockchain DLT

A Universidade de Malta fez uma parceria com a Agência de Tecnologia da Informação de Malta (MITA) para estabelecer um fundo de bolsas blockchain e DLT (300.000 dólares), informou o Times of Malta em 29 de agosto.

A nova bolsa é destinada a estudantes de tecnologia da informação e comunicação (TIC), direito, finanças e engenharia, e será dividida em três anos. A partir deste próximo ano acadêmico, os alunos podem aplicar a bolsa para concluir suas dissertações de mestrado e doutorado em blockchain e DLT.

O movimento vem em meio aos esforços do governo para atrair empresas de blockchain para Malta, garantindo capacidade de pessoal suficiente no local. Silvio Schembri, o secretário parlamentar da economia digital, disse que gostaria que os formandos malteses tivessem cargos importantes no campo:

“Essas empresas precisam de recursos técnicos para construir e operar usando essa tecnologia, bem como especialistas em serviços financeiros, leis e funções gerenciais”.

O reitor da universidade Alfred Vella disse que a universidade está procurando integrar unidades relacionadas a DLT, blockchain, moedas digitais, inteligência artificial (AI), fintech e regtech em programas de graduação e mestrado em direito, finanças, TIC e outros campos. O presidente executivo da MITA, Tony Sultana, observou que a agência vem buscando iniciativas semelhantes em outras instituições educacionais.

Malta é conhecida por seu ambiente amigável e seus esforços públicos para se tornar a “ilha blockchain”. No mês passado, o Parlamento de Malta aprovou três projetos de lei que estabelecem um marco regulatório para a tecnologia blockchain, tornando a nação insular uma sólida estrutura legal para empresas de blockchain.

Em maio, o Ministro dos Transportes de Malta anunciou uma parceria com a Omnitude, startup britânica de middle-ups do blockchain, para melhorar o Serviço de Transporte Público de Malta através da implantação de tecnologia de contabilidade distribuída.

Além disso, a Malta Gaming Authority (MGA) propôs diretrizes sobre aplicações de blockchain e criptomoeda na indústria de jogos, com o objetivo de aplicar padrões a jogos que usam criptomoedas e tecnologia blockchain.