Ministro das Finanças do Reino Unido: Blockchain pode ser solução para a questão do comércio fronteiriço irlandês após Brexit

O ministro das Finanças britânico, Philip Hammond, disse que a questão do comércio através da fronteira com a Irlanda depois que a Grã-Bretanha deixar a União Europeia (UE) pode ser resolvida com o uso da tecnologia blockchain, informou o The Irish Times em 1º de outubro.

Falando na conferência do partido Tory em Birmingham, Hammond supostamente afirmou que "há tecnologia se tornando disponível [...] eu não pretendo ser um especialista nisso, mas a tecnologia mais óbvia é blockchain", quando perguntado como o governo planeja para conseguir um comércio sem atrito após o Brexit.

Abordando o futuro da fronteira irlandesa, o Reino Unido e a UE concordaram em deixar a fronteira entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda aberta; no entanto, as partes ainda estão trabalhando na questão de como tornar isso uma realidade, reportou a Forbes em fevereiro.

O Reino Unido pretende deixar a União Aduaneira da UE, o que exigiria controles nas fronteiras entre a Irlanda do Norte, uma parte do Reino Unido, e a República da Irlanda, que permanecerá na UE. Embora Londres tenha se oferecido para assinar um acordo abrangente de livre comércio com o bloco continental, ele incluiria regras de identificação dos países de origem dos produtos para assegurar a conformidade, observa a Forbes.

A implementação do blockchain pode ser uma ferramenta para resolver a questão das fronteiras irlandesas, pois a tecnologia permite que o movimento dos produtos seja registrado de forma transparente e sem alterações. Em agosto, a gigante de logística Maersk anunciou o lançamento de uma solução de blockchain com a IBM, que incluiu 94 organizações, com 154 milhões de eventos de remessa já capturados na época.

Em maio, a Universidade Nacional da Irlanda (NUI) Galway divulgou um estudo pedindo ao governo para promover blockchain mais amplamente no país. A NUI propõe recomendações para aumentar a conscientização e adoção de blockchain, que podem ter um impacto positivo sobre o crescimento econômico e estabelecer uma base para a forma como o governo e as organizações irlandesas realizam seus negócios.