Ticketmaster quer usar contratos inteligentes para dar apoio a venda de milhões de ingressos

Falando na Elev8CON em Las Vegas em 9 de dezembro, o vice-presidente de produtos de blockchain da Ticketmaster Sandy Khaund, discutiu os benefícios que os contratos inteligentes podem trazer para a indústria de ingressos, um mercado que deverá atingir mais de US$ 6,23 bilhões até 2025.

Ele enfatizou a noção de que os provedores do setor devem considerar tratar os ingressos como contratos inteligentes, a fim de criar escalabilidade, integração perfeita com outros provedores de serviços e extensibilidade para novas oportunidades de receita.

"Nosso objetivo é oferecer suporte de 400 a 500 milhões de bilhetes usando contratos inteligentes e tecnologia blockchain", disse Khaund no palco.

No início deste ano, a Ticketmaster anunciou que vendeu 73 milhões de ingressos para shows, gerando mais de US$ 4 milhões em receita. Segundo Khaund, a Ticketmaster é responsável por 475 milhões de ingressos por ano.

À medida que esse número segue crescendo, Khaund explicou que a Ticketmaster está focada exclusivamente no valor comercial que a blockchain pode trazer e entender como levar isso aos clientes.

“Queremos que os fãs obtenham mais valor de seus ingressos, garantindo que eles acabem nas mãos certas. A tecnologia blockchain é a única que pode fazer isso usando contratos inteligentes para definir digitalmente o setor de bilhética”, disse Khaund.

Contratos inteligentes são contratos de execução automática com os termos do contrato entre o comprador e o vendedor gravados em linhas de código. O código e os acordos contidos nos contratos inteligentes existem em uma rede blockchain, tornando as transações rastreáveis ​​e irreversíveis.

A Ticketmaster começou a pensar em aplicar contratos inteligentes a ingressos no ano passado, após adquirir a empresa anterior de Khaund, a Upgraded.

Desde então, a Ticketmaster planeja usar a tecnologia blockchain da Upgraded para digitalizar os ingressos em unidades interativas que funcionem por meio de códigos de barras criptografados para proteger e melhorar o processo de emissão de bilhetes.

“A Ticketmaster possui uma tecnologia de quase 40 anos. O uso de contratos inteligentes em uma rede blockchain cria um sistema exclusivo para a Ticketmaster, escrevendo um código para cada entrada que vendemos. Tudo isso girando em torno de uma rede blockchain particular para garantir privacidade e otimização dos ingressos”, afirmou Khaund.

O caso de uso do Pearl Jam

Para explicar como isso funciona, Khaund descreveu um caso de uso recente realizado pela Ticketmaster usando contratos inteligentes. Batizado de caso de uso “Pearl Jam”, Khaund citou quando o Pearl Jam fez uma série de shows em sua cidade natal para ajudar a arrecadar dinheiro para pessoas desabrigadas.

Ele observou que o Pearl Jam queria cobrar US$ 150 por ingresso, o que se tornou um problema quando esses ingressos estavam sendo vendidos por valores muito acima disso. Khaund explicou:

“Algumas pessoas queriam pagar mais de US$ 150 por ingresso, apesar de terem sido comprados por esse preço. Precisávamos tornar esses ingressos intransferíveis, então distribuímos dois ingressos. O primeiro foi para o emissor e não podia ser transferido. O segundo só poderia ser transferido uma vez. Conseguimos fazer isso em 15 minutos, depois de escrevermos um contrato inteligente para esse caso de uso, que continha uma função primordial em torno das transferências, juntamente com um contador de transferências”.

Embora este caso de uso seja impressionante, Khaund também afirmou a importância do uso da blockchain sem que as pessoas percebam que ela está sendo utilizada.

“Queremos que as pessoas gostem dos nossos produtos. Não se trata da tecnologia para os usuários finais."

Para continuar a impulsionar a adoção da blockchain, Khaund observou que a Ticketmaster está focada em três objetivos principais: integração, desempenho e extensibilidade.

“Nosso trabalho é garantir que o processo de integração de entradas seja contínuo com outros sistemas, como o SafeTix. Também planejamos oferecer suporte a milhões de ingressos que não causem atraso para os clientes. Por fim, planejamos tornar os ingressos mais inteligentes. Essa tecnologia é programável por natureza e precisamos continuar apresentando casos de uso criativos.”