Mercado de derivativos da Huobi, terceira maior exchange cripto, agora inclui EOS

O mercado de derivativos de criptomoeda da Huobi agora suporta a altcoin EOS, de acordo com um comunicado de imprensa oficial compartilhado com a Cointelegraph em 28 de dezembro.

A Huobi é atualmente a terceira colocada no ranking de exchanges cripto por volume ajustado no CoinMarketCap, com cerca de US $ 505 million em volume nas 24 horas anteriores ao momento desta publicação.

Supostamente os comerciantes serão capazes de assumir posições longas e curtas no EOS. A decisão de criar o contrato derivativo é parte dos "esforços contínuos para atender à demanda dos clientes" da exchange.

De acordo com o comunicado de imprensa, o contrato suportará pedidos de limite de preço, limite de pedido e limite de posição de alavancagem de até 20 vezes. As taxas de negociação do derivativo de EOS no mercado derivado da Huobi serão de 0,02% para os fornecedores e de 0,03% para os compradores que abrirem e fecharem posições.

No momento desta publicação, o EOS estava sendo negociado a cerca de US $ 2,35, alta de um pouco mais de 7% no dia.

A Huobi anunciou o lançamento de seu mercado de derivativos na conferência Cryptofrontiers em Nova York em novembro. A negociação por contrato permite que os usuários comprem e vendam moedas digitais a preços predeterminados em momentos específicos no futuro, dando aos investidores a oportunidade de obter ganhos das tendências de alta e baixa do mercado.

Como a Cointelegraph reportou recentemente, a OKEx, uma importante exchange cripto sediada em Malta, lançou recentemente um novo derivativo. Este novo produto - chamado Perpetual Swap (swap perpétuo, em tradução livre) - que é um derivativo virtual que permite aos usuários especular sobre o valor futuro do par BTC/USD. Os swaps perpétuos supostamente não têm vencimento, o que significa que as posições podem ser mantidas indefinidamente.

A Nasdaq, segunda maior bolsa de valores do mundo, planeja lançar seu próprio derivativo de Bitcoin (BTC), os futuros de Bitcoin, no primeiro semestre de 2019.