'O dinheiro que usamos não tem lastro', diz diretor do Banco Central do Brasil afirmando que BACEN não pode regular Bitcoin

O especialista em supervisão bancária do Banco Central do Brasil, Fábio Carneiro, declarou que o dinheiro que usamos no dia-a-dia não tem lastro e que ele se assemelha a um tokem, seguno reportagem do Portal do Bicoin, publicada em 17 de setembro.

De acordo com a reportagem, Carneiro, este presente no evento Fintech week19, em um painel que contou com a presença de Fernando Furlan, membro do conselho consultivo da ABCB, iago Aguiar, representando o Tecban (empresa responsável pelos terminais 24 horas) e Fernando Rieche, diretor do BNDES Garagem.

Carneiro declarou que não cabe ao Banco Central do Brasil regular o Bitcoin e que as criptomoedas podem representar uma mudança total no papel do Estado, podendo eliminar até mesmo sua necessidade.

Além disso, durante o debate, Carneiro também falou sobre a idéia de lastro, geralmente atribuída a moeda nacional emitida pelo Banco Central e que muitos especialistas usam para dizer que o Bitcoin é uma bolha por não ter o suposto 'lastro'.]

“Em última análise aquele pedaço de papel é um token que só tem valor porque as pessoas acreditam no Banco Central. Ele não tem lastro”.

Já Furlan, de acordo com a reportagem, teceu críticas ao PL 2303/2015 de autoria do Deputado Federal Aureo Ribeiro. Segundo ele, o Deputado deveria ter debatido o projeto junto ao Bacen. No entanto há diversos requerimentos pedindo a participação de representantes do Banco Central nos debates inclusive já comparecendo um diretor do BCB em Audiência Pública.