SEC tailandesa: aumento de interesse nas licenças de operações de ativos digitais e da ICO

A Comissão Tailandesa de Valores Mobiliários (SEC) diz que viu um aumento no interesse em licenças para operar ofertas iniciais de meoda (ICOs) após o anúncio do Ministério das Finanças para introduzir os regulamentos da ICO, reportou o Bangkok Post em 8 de agosto.

O secretário-geral da SEC, Rapee Sucharitakul, disse ao Bangkok Post que quase 50 projetos de ICO manifestaram interesse em se tornarem certificados, mas ainda não está claro se todos eles receberão as credenciais apropriadas para levantar fundos.

Rapee acrescentou que três dos cinco portais de ICO interessados em solicitar licenças já entraram com a SEC. Além disso, cerca de 20 empresas que pretendem operar como casas de câmbio de ativos digitais também solicitaram autorização. Rapee disse:

“Aprovações de licença estão sendo processadas. Muitas empresas interessadas em abrir casas de câmbio de ativos digitais disseram que os ativos digitais e o comércio de criptomoedas no mercado tailandês são bastante ativos".

O processo de autorização leva até cinco meses, quando o pedido for submetido, a SEC transferirá o documento para o Ministério da Fazenda no prazo de 90 dias. Depois disso, o Ministério tem 60 dias para decidir se aprova uma licença. As firmas de ativos digitais que buscam aprovação devem estar sediadas na Tailândia, ter capital registrado completo e ter “status financeiro sólido”.

A Tailândia demonstrou uma abordagem positiva para a criptomoeda e a regulação de blockchain. O Banco da Tailândia permitiu que bancos locais estabelecessem subsidiárias para lidar com criptomoedas na semana passada. Os bancos tailandeses agora podem emitir tokens digitais, fornecer serviços de corretagem de cripto, executar negócios relacionados a cripto e investir em criptomoedas por meio de subsidiárias.

Em julho, a Thai Bond Market Association (TBMA) anunciou que implantará uma solução baseada em blockchain em sua plataforma de serviços de registradores para fornecer uma emissão de certificados de títulos mais rápida e, por sua vez, aumentar a liquidez do mercado secundário. A plataforma reduzirá o tempo de emissão de bônus dos atuais 7-15 dias para 3-4 dias.