Pesquisa: alemães mais jovens mais inclinados a investir em criptomoedas

Mais de um quarto dos alemães mais jovens está pronto para comprar criptomoedas, de acordo com uma pesquisa recente dos Centros Alemães de Consumidores de Hesse e Saxônia, publicada na segunda-feira, 5 de novembro.

Centros de consumidores são agências sem fins lucrativos, apoiadas pelo governo, organizadas em sindicatos estaduais. Eles se concentram na proteção do consumidor, além de fornecer serviços de consultoria.

Os centros de dois estados federais alemães, cujas populações totalizam mais de 10 milhões de pessoas, realizaram uma pesquisa conjunta entre usuários da Internet. De acordo com a mídia local de negócios Wirtschaftswoche, a pesquisa entrevistou mil alemães com idades entre 18 e 39 anos.

Mais da metade dos entrevistados - 55% - afirmam ter ouvido falar de criptomoedas. 77% daqueles que conhecem as moedas digitais admitem que não são propensos a investir neles.

Quando perguntados sobre sua percepção do fator de risco de criptomoedas, 70% dos participantes disseram achar o comércio de criptos "arriscado" ou "muito arriscado". A nota informa que existe uma forte correlação entre a estimativa de risco e a idade do respondente. Enquanto 54% das pessoas entre 30 e 39 anos consideram os investimentos em criptomoedas perigosos, 28% dos entrevistados de 18 a 29 consideraram que a compra de criptomoedas é “concebível”.

Notavelmente, a pesquisa em si fornece um aviso sobre os riscos de investir em moedas digitais. Wolf Brandes, líder da equipe de mercados financeiros do Centro do Consumidor de Hesse, escreve: "Os investidores precisam saber: as criptomoedas em termos de investimento são mercados de capital cinzentos. Não há regulamentação ou proteção ao investidor".

Essa postura cética em relação às criptomoedas é compartilhada dentro do governo alemão. Em setembro, o ministro das Finanças da Alemanha, Olaf Scholz, afirmou que as criptomoedas não seriam capazes de substituir a moeda fiduciária, acrescentando que elas não têm "uma importância economicamente significativa". Ele também comparou criptomoedas com a bolha da febre da tulipa na Holanda no século XVII.

Pesquisas similares foram realizadas recentemente nos EUA. Uma recente pesquisa feita pelo serviço de pesquisa YouGov Omnibus mostrou que os millennials americanos estão mais interessados ​​em criptomoedas, com 36% deles dizendo que prefeririam usar moeda digital do que o dólar. Outra pesquisa da empresa norte-americana de análise de blockchain, Clovr, descobriu que o investimento em criptomoeda é mais popular entre os homens milenaristas que ganham entre US $ 75.000 e US $ 99.999 por ano.