CEO da Stably acredita que grandes marcas como Amazon e T-Mobile vão lançar suas moedas estáveis

De acordo com artigo publicado pela empresa Stably, depois da Libra do Facebook, parece provável que outras grandes marcas como Amazon, Delta e T-Mobile criem suas próprias moedas estáveis.

Moedas estáveis - ou "stablecoins" - são criptomoedas que possuem um valor fixo em relação à moedas fiduciárias como o dólar ou o euro. Elas possuem as qualidades das criptomoedas, com a segurança de terem um valor fixo em relação às moedas nacionais.

De acordo com a Stably, responsável pela stablecoin StableUSD, os próximos anos verão o surgimento de novas gerações de moedas estáveis.

Esses tokens “de marca” não apenas empregariam os aspectos fundamentais da estabilidade de preços e da tecnologia blockchain usada pelos tokens de hoje, mas também incluiriam integração de programas de fidelidade, liquidez no mercado secundário e oportunidades de branding.

O artigo defende que empresas que adotarem suas próprias moedas estáveis poderiam se beneficiar de custos de transação mais baixos, receita de juros estável de uma reserva fiduciária e um programa de fidelidade mais simplificado.

Além disso, as moedas estáveis podem se tornar um concorrente viável nos mercados de remessas, pagamentos de varejo e transações transnacionais.

O estudo mostra que as taxas de processamento de cartão de crédito entre as principais empresas de pagamentos como Visa, MasterCard e AmEx, são em média de 2% por transação.

Os dados do relatório mostram que o Walmart poderia economizar US$ 10 bilhões por ano em taxas de processamento de cartão de crédito.

Além disso, outro fator que embasa o estudo é o fato de que as moedas estáveis "de marca" podem melhorar os programas de fidelidade das empresas. Para programas de fidelidade, a conveniência é fundamental. Mas, com tantas empresas oferecendo programas de fidelidade, a experiência do cliente pode se tornar inconveniente. 

O relatório defende a ideia de surgimento, num futuro próximo, de duas novas gerações de moedas estáveis. 

A primeira geração de stablecoins (no contexto de tokens com suporte de moedas fiduciárias) são moedas como a própria StableUSD (USDS), Paxos (PAX), USD Coin (USDC) e Tether (USDT). Estas moedas empregam os aspectos fundamentais da tecnologia: um preço estável e o uso da tecnologia blockchain. 

A segunda geração de moedas estáveis, segundo o artigo publicado pela Stably, provavelmente terá os fundamentos da primeira geração, mas com recursos integrados, como privacidade, recompensas, juros, crédito e assim por diante.

A terceira geração combinaria as características da primeira e da segunda, se tornando capaz de agrupar diferentes moedas especializadas em um token e criando um produto que serve como a intersecção de diferentes especializações.

Por exemplo, pode haver uma nova moeda estável de e-commerce que combine vários moedas da segunda geração da Amazon, eBay e Shopify.

Hoje, a indústria de stablecoins ainda é pequena em relação ao espaço de criptomoedas como um todo, e a indústria é dominada pela Tether, que tem dez vezes a capitalização de mercado da segunda maior stablecoin, a USD Coin.

Este novo mercado não para de crescer, em 2018 foram anunciados 193 projetos de moedas estáveis. Novas empresas de tecnologia também estão entrando nesta corrida. O Brasil não está atrás, e atualmente já existem stablecoins lastreadas em reais, como a RealT e o BRZ - a primeira, como mostrou o Cointelegraph, permite até saques em reais em caixas eletrônicos.