Stablecoins terão papel importante na adoção das cripto, segundo novo relatório

As stablecoins terão papel importante na adoção universal das tecnologias cripto, de acordo com relatório publicado pela startup de stablecoin baseada na Califórnia Reserve nesta quarta, 20 de fevereiro.

O relatório, nomeado “The State of Stablecoins 2019: Hype vs. Reality in the Race for Stable, Global, Digital Money” ("O Estado das Stablecoins 2019: Empolgação vs Realidade na corrida por dinheiro digital golbal e estável") é baseado em informações colhidas entre 40 empresas cripto e stablecoins. O coordenador do relatório é George Samman, um conselheiro em criptomoedas e blockchain. De acordo com o documento, Samman “foi contratado para pesquisar o cenário de stablecoin e então produzir um relatório independente com seus apontamentos para a indústria como um todo poder aprender com ele".

A análise é apresentada por uma série de grandes empresas, entre elas Reserve, Arrington XRP Capital e Blocktower.

O estudo analisa os recursos chave das stablecoins que, como o autor acredita, podem contribuir para a adoção em massa das tecnologias cripto:

“O desenvolvimento de stablecoins, criptomoedas com preço estável, criptomoedas apoiadas por ativos, etc. deve ter um papel fundamental em como essa nova economia conseguirá a adoção global.”

Além disso, o autor acredita que os países em desenvolvimento com hiperinflação, como a Venezuela e Angola, serão os primeiros a adotar as stablecoins, enquanto outros virão a seguir. Além disso, as stablecoins prometem ser um mercado multitrilionário, segundo o relatório.

O documento então passa a tratar do papel potencial de grandes empresas como o Facebook na facilitação da adoção das stablecoins. No fim do último ano, um relatório sugeriu que a gigante da social media estaria considerando lançar uma stablecoins para usuários do WhatsApp.

Para o futuro próximo das stablecoins, o autor acredita que o dólar americano será “o ativo líquido mais tokenizado no espaço das criptomoedas nos próximos 12 ou 24 meses”.

Porém, em outra de suas conclusões, o relatório arrisca que se uma stablecoin massivamente adotada é atrelada ao dólar, isso pode aumentar o total de suprimento de moeda fiat e então trazer inflação e instabilidade. De acordo com o relatório, moedas com preço estável estarão mais atreladas a ativos variados, em vez de moedas nacionais. Os autores concluem descrevendo o modelo ideal para futuras stablecoins:

“A stablecoin ideal deve poder suportar as instabilidades do mercado, ser acessível para manter uma faixa de valor, ter parâmetros estáveis e compreensíveis e ser facilmente notado por negociantes e outros participantes do mercado.”

Grandes entusiastas das cripto apostam nas stablecoins como uma criptomoeda menos volátil e mais previsível que poderia trazer as atenções de investidores institucionais. Os gêmeos Winklevoss, que mais cedo neste ano lançaram sua própria stablecoin atrelada ao dólar, o dólar Gemini (GUSD), acreditam que as stablecoins e títulos tokenizados são o futuro da inovação cripto.

O membro suíço do conselho da Bitcoin Association Luzius Meisser disse no começo do mêes que as “stablecoins são a pré-condição para que as empresas médias possam trazer sua equidade pra dentro da blockchain.”

Na última semana, o gigante financeiro norte-americano JPMorgan Chase anunciou que está desenvolvendo uma stablecoin atrelada ao dólar, JPM Coin, para aumentar a eficiência de transações internacionais.