SpaceX de Elon Musk, coloca 60 satélites em órbita e pode impulsionar adoção de criptomoedas

O Starlink, projeto de desenvolvimento de satélites criado por Elon Musk, dono da Tesla, colocou na última segunda-feira (6) mais 60 satélites em órbita a partir do veículo de lançamento Falcon 9, da SpaceX, com o objetivo de oferecer conexão à internet em todo o mundo. Com o projeto cada vez mais perto de se tornar realidade, quem pode se beneficiar são as criptomoedas. 

As criptomoedas surgiram com lançamento do Bitcoin em 2009. Diz o seu white paper (documento que explica a idéia original do projeto):

"Uma versão puramente ponto a ponto do dinheiro eletrônico permitiria pagamentos on line serem enviados diretamente de uma parte para outra sem passar por uma instituição financeira."

Segundo um dos maiores especialistas no assunto, Andreas Antonopoulos, o Bitcoin foi "uma moeda digital criada através da Internet, para a Internet."

O recente lançamento dos satélites Starlink tem o objetivo de levar internet para todas as partes do mundo, e a única coisa que você necessita para fazer parte da rede Bitcoin é um dispositivo com acesso à internet.

Todo o lançamento foi documentado pela empresa. Um teste da nova tecnologia foi realizado como parte de uma série padrão de procedimentos de pré-lançamento e entre os últimos marcos importantes antes da decolagem. 

Durante esse teste, os nove motores Merlin 1D da primeira etapa foram acionados com sucesso. O foguete de dois estágios decolou na segunda-feira. O lançamento da SpaceX Falcon 9 marcará o primeiro do ano a partir da Space Coast da Flórida.

Em 2019, a SpaceX de Musk realizou um total de 13 lançamentos, com a última missão transportando um satélite de comunicações de alto peso para um provedor de banda larga japonês e uma startup sediada em Singapura.

A SpaceX lançou seus primeiros 60 satélites em maio de 2019 e outros 60 em novembro. O lançamento desta semana elevará o total de satélites de Musk para quase 180, tornando-a a maior constelação de satélites em órbita ao redor da Terra.

O empresário sul-africano planeja aumentar o número para mais de 40.000 satélites.

O fundador da empresa de lançamento de satélites disse que a empresa precisaria de pelo menos 400 a 800 satélites Starlink para fornecer cobertura de banda larga moderada. Com menos de 10 lançamentos, a SpaceX poderia começar a oferecer banda larga nos Estados Unidos.

Segundo a empresa, esse último lote de satélites Starlink foi projetado para "fornecer acesso global à Internet".

A relação do Bitcoin com o espaço não é recente. Como o Cointelegraph publicou no ano passado, a empresa de desenvolvimento de blockchain Blockstream expandiu seu serviço de satélite e transmite o blockchain do Bitcoin para todas as principais massas terrestres da Terra.