Regulador financeiro sul-coreano reafirma postura negativa sobre ICOs e cripto

O presidente da Comissão de Serviços Financeiros da Coreia, Choi Jong-koo, reafirmou sua posição negativa em moedas digitais e ofertas iniciais de moeda (ICOs), reportou a Business Koea em 11 de outubro. Choi falou em uma sessão de auditoria parlamentar da comissão realizada na Assembleia Nacional.

A Coreia do Sul proibiu as ICOs em setembro do ano passado, afirmando que esse tipo de arrecadação é “quase uma aposta”. Em agosto, legisladores coreanos, incluindo participantes de ministérios do governo, voltaram à questão da criptomoeda, concentrando-se em revogar a proibição do país à ICO. Os legisladores concordaram com a necessidade de desenvolver uma política relacionada antes de levar a cabo uma resolução sobre o ressarcimento da ICO.

Na recente sessão, Choi supostamente disse que "o governo não nega o potencial da indústria de blockchain", enquanto observa que "não deve equiparar o negócio de comércio de criptomoeda com a indústria de blockchain". Choi disse:

"Muitas pessoas dizem que o governo coreano deveria permitir as ICOs, mas as ICOs trazem incertezas e os danos que elas podem causar são muito sérias e óbvias. Por essas razões, muitos países estrangeiros proíbem ICOs ou são conservadores em relação a eles".

Choi também abordou as críticas de bancos comerciais que recusaram o serviço de casa de câmbio cripto, afirmando que "as bolsas devem ser capazes de persuadir os bancos a emitir contas bancárias para eles".

Outras autoridades disseram que o governo sul-coreano está “propenso” a anunciar sua posição oficial sobre as ICOs em novembro. O chefe do Escritório de Coordenação de Políticas Governamentais, Hong Nam-ki, disse que o governo anunciará sua posição assim que finalizar sua discussão e receber os resultados de uma pesquisa do governo.

Hong disse à publicação de negócios coreana Investor que o governo lançou uma pesquisa com empresas de blockchain para reunir seus pontos de vista sobre a estrutura legal atual.

Em setembro, os ministros do gabinete sul-coreanos concordaram em excluir toda a venda e corretagem de ativos digitais baseados na tecnologia blockchain da classificação de negócios de risco. A medida foi supostamente tomada para “fortalecer a cooperação de instituições relacionadas” e para proteger os cidadãos das “atividades ilegais” relacionadas ao negócio de ativos digitais.