Reguladores do estado da Carolina do Sul desistem de ações de fiscalização em duas startups blockchain

A Divisão de Valores Mobiliários do Gabinete do Procurador Geral da Carolina do Sul retirou pedidos de cessação contra duas startups blockchain, de acordo com documentos públicos divulgados em 26 de julho.

O pedido de hoje retirou uma ordem de cessar e desisitir apresentada pelo escritório da Procuradoria Geral da Carolina do Sul contra a plataforma de transportes ShipChain por violar os estatutos de títulos do estado em 21 de maio. Os reguladores inicialmente acusaram a empresa de entrar em conflito com as leis de valores mobiliários durante sua venda privada de tokens.

A segunda empresa, a plataforma de mineração em nuvem Genesis Mining, que foi anteriormente interrompida pela Divisão de Valores Mobiliários da Procuradoria Geral da Carolina do Sul devido à venda de “títulos não licenciados”, agora é condenada a ser retirada como um respondente da ordem administrativa.

Após a ordem de cessação em maio, a ShipChain refutou a acusação dos reguladores estatais, alegando que a sua venda de tokens foi realizada em conformidade com as leis de valores mobiliários. Além disso, a firma especificou que a ShipChain “não estava ciente” que os tokens SHIP eram oferecidos a residentes da Carolina do Sul, uma vez que a venda simbólica era realizada antes da colocação da empresa no estado da Carolina do Sul.

De acordo com a Influencive, a ShipChain levantou US $ 30 milhões em uma venda privada em janeiro. Lançada em 2017 na Califórnia, a startup blockchain visa resolver os principais problemas associados aos setores de logística e transporte. De acordo com o National Cargo Security Council, o setor perde mais de US $ 50 bilhões por ano de carga perdida ou roubada.

A Genesis Mining, sediada na Islândia, é uma das maiores empresas fornecedoras de serviços de mineração em nuvem, focada principalmente no BitcoinFundada no final de 2013, as fazendas de mineração da empresa são declaradamente o maior consumidor de eletricidade na Islândia.

Hoje, a Cointelegraph reportou que a Autoridade Supervisora do Mercado Financeiro da Suíça (FINMA) lançou medidas de execução contra a empresa de mineração de cripto Envion AG devido a sua venda de tokens potencialmente não autorizada em meados de janeiro de 2018.