Desenvolvedor de softwares devolve US$ 500.000 em Ethereum depositados por engano em contrato da rede

Drew Stone, um desenvolvedor na empresa Edgeware, devolveu 2.000 ETH (cerca de US$ 500.000 na cotação atual) ao seu legítimo proprietário depois que os fundos foram enviados por engano para um contrato errado na rede Ethereum.

Como o Ethereum é um livro de registro público e aberto, qualquer pessoa pode explorar sua Blockchain e verificar transações e saldos. O endereço creditado por engano pode ser consultado através deste link.

De acordo com post do Twitter, ele fez isso usando um sistema projetado por desenvolvedores da Ethereum.

O sistema Edgeware Lockdrop Ropsten é uma nova tecnologia da rede Polkadot que permite a criação de novos tokens na rede Ethereum com algumas novas funcionalidades.

Uma das novidades é que os investidores podem alocar por um período - de forma reversível - uma quantidade de ETH para receber o novo token, sem precisar enviar completamente seus ETHs para o endereço do projeto.

A reversibilidade da transação faz com que os contribuintes de sintam mais seguros em seus novos investimentos.

Stone explicou que notou que um usuário havia enviado 2.000 ETH para o contrato Edgeware Lockdrop Ropsten que utiliza o Polkadot - plataforma que conecta diferentes tipos de Blockchain.

A transação, no entanto, aconteceu na rede principal do Ethereum em vez do ecossistema Polkadot. Dados do site explorador de Blockchain Etherscan mostraram que a transação foi feita em 1 de junho às 18:00 UTC.

Depois de perceber a transação suspeita, Drew descobriu que a chave usada para criar a transação no Ropsten nunca havia transacionado na Mainnet. Isso permitiu que ele criasse um contrato de recuperação no mesmo endereço.  A operação foi possível devido a como os endereços de contrato da Ethereum são calculados.

Ropsten é o nome dado à rede teste do Ethereum. Desenvolvedores podem utilizar esta rede para realizarem testes em seus projetos de Blockchain sem impactar a rede principal do Ethereum. 

O contrato de recuperação foi criado com o único objetivo de permitir que o proprietário dos 2.000 ETH recuperasse o valor. Stone disse que devolveu os fundos ao seu legítimo proprietário e até compartilhou os detalhes da recuperação em sua página do GitHub.

O contrato que ele compartilhou permite que os desenvolvedores insiram as contas e os montantes de fundos perdidos que podem ser recuperados por seus proprietários.

Stone alertou os usuários para terem cuidado ao enviar criptomoedas. Ele disse que o erro resultou do fato do usuário não ter verificado o endereço que havia copiado em sua conta original. O usuário não alterou sua chave de destino ao testar o Edgeware Lockdrop, o que resultou no envio dos fundos na Ethereum Mainnet.

A operação foi possível graças à uma nova funcionalidade que foi implementada na rede Ethereum recentemente, como mostrou o Cointelegraph. Esta nova atualização pode ajudar novos projetos no que tange a segurança no lançamento de novos tokens.