Presidente da SEC diz ao Senado dos EUA que abordagem da agência para as criptomoedas é 'comedida'

Os reguladores dos Estados Unidos acreditam que adotaram uma "abordagem comedida, ainda que proativa", quanto a regulamentação de criptomoedas que ajuda investidores de varejo e institucionais.

Essa foi a opinião formal de Jay Clayton, presidente da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (Securities and Exchange Commission - SEC), que atualizou os legisladores sobre a política oficial em 10 de dezembro.

Clayton: SEC promove a inovação

Falando em depoimento perante o Comitê de Bancos, Habitação e Assuntos Urbanos do Senado, Clayton destacou o potencial da tecnologia blockchain em ajudar os participantes do mercado a acumular capital.

"Como afirmei anteriormente, estou otimista de que o desenvolvimento da tecnologia de ledger distribuído pode ajudar a facilitar a formação de capital, oferecendo oportunidades promissoras de investimento para investidores institucionais e grandes varejistas", disse ele.

Resumindo, Clayton endossou a forma geral de como a SEC lida com a inovação financeira disruptiva:

"No geral, acredito que adotamos uma abordagem regulatória comedida e proativa que promove a inovação e a formação de capital, protegendo nossos investidores e nossos mercados".

Ação legal da ICO complicada

Embora Clayton tenha procurado apresentar uma visão equilibrada sobre as criptomoedas, em particular em meio a intenso escrutínio realizado por Washington este ano, a SEC foi amplamente criticada por suas políticas.

Como o Cointelegraph relatou anteriormente, as ações de execução contra certas empresas que realizaram ofertas iniciais de moedas (ICOs) em 2017 continuam. Uma batalha legal envolvendo o aplicativo de mensagens canadense Kik quase levou a empresa a fechar as portas em outubro.

Em uma sessão de perguntas e respostas após seu testemunho, o meio de comunicação sobre finanças disruptivas Crowdfund Insider citou a fala de Clayton para descrever a situação de execução como complicada.

Sobre o tema da criptomoeda, especificamente  Libra, moeda digital ainda por ser lançada do Facebook, ele acrescentou: "Ela está entre nós, não podemos fechar os olhos para el".

Enquanto isso, neste mês, Clayton se juntou a vários reguladores proeminentes na redação de um relatório para o governo dos EUA que abordava os riscos potenciais decorrentes da adoção mais ampla de stablecoins.