'Satoshi Nakamoto' aparece e envia carta alegando que Craig Wright é mentiroso

Mais um suposto Satoshi Nakamoto surgiu e desta vez ele apareceu com uma suposta chave PGP que estaria associada a uma versão privada do Bitcoin, usada por Nakamoto e outros 5 desenvolvedores iniciais quando estes faziam mudanças no código.

O belga, Debo Jurgen Etienne Guido escreveu uma carta, encaminhada a Justiça americana e destinada a ser anexada no processo da família de David Kleiman contra Craig Wright. Afirmando ser Satoshi Nakamoto, Guido alega que Wright nunca teve qualquer participação no projeto do BTC.

De acordo com os documentos do processo, a carta afirma, "Eu, por meio deste, testifico, por carta escrita - eu sou o genuíno e único originador / criador do bloco genesis do blockchain Bitcoin. Eu usei o nome Satoshi Nakamoto e enviei um e-mail do Satoshin@GMX.com para escrever e publicar o whitepaper" diz a publicação.

Outro Satoshi auto-proclamado aparece no processo legal de Bitcoin de alto perfil

Debo também afirma que ele gerou a chave PGP: 0x18C09E865EC948A1 e diz que a chave foi assinada também por Hal Finney, Gavin Andresen, Peter Todd e Wladimir van. der Laan, todos associados a criação do BTC.

A carta de Debo ao tribunal da Flórida e ao juiz Reinhart enfatiza que ele nunca teve nenhum contato com David Kleiman e insiste que Craig Wright “não tem uma única chave privada da minha chave PGP conhecida sobre o bloco genesis”

“O homem (Craig Wrigth) não tem ideia de como este bloco inicial foi feito, pois ele não minerou os blocos designados para referida carteira", afirma a carta de Debo.

O Belga afirma ainda que havia dois e-mails usados por ele para tratar dos desenvolvimentos do Bitcoin, e que ambos podem ter seus arquivos acessados por meio de um pedido a provedores de serviço na Alemanha.

"[havia dois e-mails] Satoshin e Satoshi - Esteja ciente disso. Eu usei Satoshin@GMX.com. Usando o Patriot Act, eu sugiro que você peça um backup completo na Alemanha e você notará que a comunicação com Harold Finney é assinada, às vezes criptografada com a minha chave ou subchave PGP que eu possuo - Não há como Craig Wright ter acesso a minha chave PGP privada", disse em conversas com o advogado de David Kleiman.

Para provar ser Satoshi, Debo disse ainda que registrou o Bitcoin.pdf ( whitepaper ) antes da data de publicação na internet em um cartório belga. "Isso tem consequências legais para provar a autoria e os direitos autorais, já que os direitos autorais são concedidos na criação, não no registro - Mas o registro pode ser útil para provar a data da criação", afirmou.

O suposto Satoshi Nakamoto declara ainda que junto com Hal Finney minerou os primeiros blocos do Bitcoin e disse que é o dono da suposta wallet que contém mais de 700 mil Bitcoins, disse também que até agora não moveu estes recursos mas no momento propício irá usa-los para assegurar o desenvolvimento da humanidade e que apenas 7% deste montante será usado para seu fim pessoal.

Embora a suposta revelação possa parecer novidade, Debo vem afirmando ser o criado do Bitcoin pelo menos desde 2015, sem nunca ter conseguido convencer a comunidade sobre suas alegações. No processo de Kleiman X Wright, o desenvolvedor se nega a assinar o bloco genesis com sua chave PGP alegando que este "não é o momento" e que poderia ser perseguido se isso ocorre-se.

Wladimir van der Laan, desenvolvedor do Bitcoin Core, disse que revogou esta chave PGP desde 2016, "Não há mensagens conhecidas assinadas por essa chave, mas ela foi distribuída junto com o Bitcoin antigo, então pode ser a chave real de Satoshi, mas lembre-se da incerteza", disse Wladimir van der Laan, respondendo às principais declarações de Debo.

Como reportou o Cointelegraph, o  desenvolvedor do mensageiro peer-to-peer Bitmessage, Jonathan Warren, testemunhou também no processo Kleiman x Wrigth afirmando que alguns dos documentos de Wright apresentados no julgamento foram falsificados.