Maior empresa de telefonia da Coréia do Sul revela sua própria rede de blockchain

A estatal KT Corporation, maior empresa de telefonia da Coreia do Sul, anunciou o lançamento de sua rede comercial movida a blockchain. A empresa construiu uma camada de blockchain no topo de sua rede nacional existente, a fim de torná-la “mais segura e transparente”, segundo um artigo do The Korea Herald publicado na terça-feira, 24 de julho.

A agência de notícias relata que o chefe do KT Blockchain Center Seo Young-il disse que a tecnologia blockchain pode ser usada em telecomunicações para um gerenciamento de dados seguro e eficiente. Seo acrescentou:


“O objetivo de aplicar o blockchain às redes é abordar os problemas de segurança e transação, tornando as redes atuais mais seguras e confiáveis.”

Com sua nova rede, a KT planeja permitir que seus clientes individuais e corporativos armazenem e transfiram seus dados digitais com “menos riscos de hacking”, segundo o The Korea Herald. A rede tem uma capacidade reivindicada de 2.500 transações por segundo (TPS), em comparação com 3 TPS da Bitcoin (BTC) e 15 TPS da Ethereum (ETH).

A KT Corp. também tem planos de oferecer serviços de roaming baseados em blockchain com operadoras de telefonia móvel internacionais, como a NTT Docomo, a principal fornecedora do Japão. De acordo com o The Korea Herald, o uso de blockchain permitirá que a empresa calcule contas de roaming em tempo real e melhore a velocidade da conexão de internet para os clientes.

A Cointelegraph informou em 6 de julho que a KT Corporation se juntou ao Carrier Blockchain Study Group (CBSG), um consórcio global de blockchain de empresas de telecomunicação cujo objetivo é criar um ecossistema de blockchain de operadora cruzada com recursos como “recarga de [celular], carteira de roaming, compensação e liquidação segura, autenticação pessoal e aplicações IoT. ”

O mercado de blockchain na Coreia deve crescer 20 vezes em quatro anos - de US $ 44 milhões em 2018 para cerca de US $ 887 milhões em 2022 - reporta o Korea Herald, citando o Ministério da Ciência do país e tecnologia de informação e comunicações (ICT).