Coreia do Sul responde à petição pública: sem proibição de criptomoeda, mas o governo ainda está dividido

O governo da Coreia do Sul disse que seu curso regulatório sobre criptomoedas visa "impedir quaisquer atos ilegais ou incertezas" em novos comentários feitos quarta-feira, 14 de fevereiro.

Citado por vários meios de comunicação, o ministro do gabinete para a coordenação de políticas governamentais do país, Hong Nam-ki, divulgou uma declaração em resposta à petição pública do mês passado contra uma regulamentação rigorosa ou uma proibição absoluta do comércio de criptomoeda.

A petição, publicada no site do escritório presidencial sul-coreano, reuniu até agora mais de 200 mil assinaturas. O governo é obrigado a responder a uma petição que reúna mais de 200 mil em 30 dias.

"A regra básica do governo é evitar quaisquer atos ilegais ou incertezas quanto ao comércio de criptomoeda, enquanto nutre ansiosamente a tecnologia blockchain", anunciou Hong, continuando:

"Mas o governo ainda está dividido com muitas opiniões, que vão desde uma proibição definitiva de negociação de criptomoeda até trazer para junto de si as instituições que lidam com a moeda no sistema".

Tal foi a extensão da reação pública após o ministro da Justiça, Park Sang-ki, sugerir que progrediam leis para o banimento de casas de câmbio de criptomoeda e do comércio, que o governo como um todo foi obrigado a esclarecer sua posição esclarecer sua posição pouco depois.

"Não há intenção de banir ou suprimir as criptomoedas", disse o ministro das Finanças, Kim Dong-Yeon, em comunicado em 31 de janeiro.

A declaração de hoje do governo enfatizando as "muitas opiniões" em jogo deixa claro que ainda não ocorreu uma decisão final no país.

As declarações acontecem apenas um dia depois de outra fonte do governo sugerir que um regime de licenciamento para casas de câmbio de criptomoeda poderia ser estabelecido após as eleições em junho deste ano. O funcionário do governo observou que o sistema proposto foi baseado no modelo do BitLicense de Nova Iorque.

No Japão, um movimento semelhante para regular as casas de câmbio de criptomoeda através de um sistema de licenciamento que começou em 2017 está funcionando com sucesso.