Gangue de cibercrime russo-ucraniana presa na Espanha, supostamente usando BTC para lavar $1.24 bilhões

A polícia espanhola prendeu uma gangue de crimes cibernéticos formada por russos e ucranianos supostamente envolvidos em roubar mais de $1,24 bilhão de instituições financeiras em todo o mundo, convertendo subseqüentemente seus ganhos ilícitos em Bitcoin ( BTC }), segundo relatórios da Associated Press em 26 de Março.

De acordo com declarações emitidas pela polícia espanhola e pela Europol , o líder da gangue é um ucraniano chamado "Denis K.", e seus três suspeitos cúmplices de origem russa e ucraniana, foram identificados e presos na cidade espanhola de Alicante. Durante um período de 5 anos, os criminosos teriam roubado mais de 1 bilhão de euros ($1,24 bilhão) de instituições financeiras em todo o mundo.

Os criminosos foram supostamente envolvidos em cibercrime , tendo como alvo mais de 100 instituições financeiras e, ocasionalmente, conseguindo escapar com até 10 milhões de euros em cada assalto. Como alegado pelas autoridades, quase todos os bancos russos foram afetados e cerca de 50 deles perderam dinheiro nos ataques.

A gangue obteve acesso a redes bancárias internas ao enviar e-mails de phishing com anexos maliciosos aos funcionários do banco. O malware forneceu aos supostos criminosos controle sobre o hardware afetado, permitindo que eles comprometessem os caixas eletrônicos e usassem as máquinas para retirar quantias ilimitadas de dinheiro.

A AP informa que os criminosos cibernéticos não gastaram o dinheiro mal obtido, mas em vez disso o trocaram por Bitcoins. Uma vez convertida, a criptomoeda foi usada para comprar diferentes ativos, incluindo imóveis e veículos na Espanha.

Em Fevereiro de 2018, a Polícia tailandesa prendeu um cidadão russo, Sergey Medvedev, considerado o número dois em uma organização internacional de cibercrime e administrador do site da Dark Web Infraud. O portal foi usado para vender cartões de crédito roubados, identidades e documentos governamentais obtidos ilegalmente. Na época da prisão, Medvedev possuía mais de 100.000 Bitcoins (BTC), aproximadamente igual a $820 milhões na época.