Na Rússia, mercado da darknet planeja ICO de US$ 146 milhões para expansão global

O maior mercado de darknet da Rússia quer arrecadar US$ 146 milhões em uma oferta de tokens que permitiria sua globalização.

Como relatou o Forklog em 11 de dezembro, a venda de tokens é quase certamente ilegal - nesse caso, não apenas por desrespeitar as leis de valores mobiliários ou outros regulamentos financeiros.

“Uma nova era no Ocidente”

Os operadores do mercado, conhecido como "Hydra", têm ambições de lançar seu modelo de comércio anônimo e fora da lei de substâncias ilícitas em grande escala.

Um memorando de investimento, que só pode ser acessado por navegadores da dark web como o Tor, afirma que a expansão global da plataforma "começará uma nova era no Ocidente" em uma escala "difícil de imaginar".

A Hydra fornece um serviço anônimo, por meio do qual os mensageiros deixam os bens adquiridos em locais designados e ocultos em espaços públicos, para serem recolhidos posteriormente pelo cliente. Nem comprador, nem vendedor, nem correio jamais se cruzam pessoalmente.

As operadoras planejam usar os fundos para criar um novo serviço chamado "Eternos" - combinando serviços de mensagens criptografadas, um navegador focado na privacidade, resolução automatizada de disputas e um mercado de balcão e exchange de criptomoeda.

Programada para 16 de dezembro, a venda de tokens oferecerá aos investidores pacotes de 100 tokens, conferindo direitos a uma participação de 0,003% nos lucros da empresa. Os tokens são avaliados em US$ 100 cada, pagos em Bitcoin (BTC).

Foi definida que seriam emitidos 1.470.000 tokens, representando 49% do valor da Eternos e comprometendo US$ 500 em dividendos mensais para quem compra mais de 100 tokens. O Forklog alertou os leitores de que o projeto pode ser na verdade um golpe de saída.

Os números são baseados em uma previsão de receita mensal de US$ 15 milhões, que os operadores justificam citando suas métricas de crescimento atuais.

A Hydra alega ter uma base de usuários de mais de 3 milhões, processando mais de 100.000 transações diárias de substâncias ilícitas, serviços de hackers, documentos falsificados, dados roubados e dinheiro.

Em junho de 2019, o site de investigação russo Proekt confirmou que a Hydra tinha 2,5 milhões de contas registradas, das quais 393 mil haviam feito pelo menos uma compra.

Predecessores na darknet

O mercado mais infame da indústria de criptomoeda na darknet continua sendo o Silk Road, lançado em fevereiro de 2011 antes de ser fechado pelas autoridades em outubro de 2013.

Seu fundador, Ross Ulbricht - também conhecido como "Dread Pirate Roberts" - foi preso e condenado à prisão perpétua em 2015, tendo sido considerado culpado de acusações de lavagem de dinheiro e auxílio na distribuição de drogas, hackers e golpes, entre outras acusações.

Em 2017, as autoridades dos EUA fecharam o principal mercado da darkweb, o Alphabay, por meio do qual os fornecedores haviam supostamente anunciado vender fentanil, heroína, armas, malware e uma série de produtos de roubos relacionados ao Bitcoin.