Ripple faz parceria com a Finastra, terceira maior empresa de fintech do mundo

A Finastra - a terceira maior empresa de tecnologia de serviços financeiros do mundo, com sede em Londres - fez parceria com a Ripple para conceder a seus clientes acesso à rede blockchain da RippleNet.

Conforme relatado pelo Fintech Times em 16 de outubro, a cooperação entre as duas empresas fará com que os mais de 200 clientes existentes da Ripple acessem reciprocamente a extensa rede bancária da Finastra, que inclui 48 dos 50 principais bancos do mundo.

Parceria com um "gigante global" do software financeiro

A Finastra foi formada em 2017 após uma fusão entre Misys e D+H, com o desenvolvimento saudado na época como o estabelecimento de "um gigante global no mercado de software financeiro".

De acordo com o relatório do Fintech Times, os clientes da Finastra e os parceiros existentes da RippleNet poderão fazer transações transfronteiriças com rastreamento de ponta a ponta e supervisão transparente de taxas, prazo de entrega e status.

Os clientes serão hospedados na solução em nuvem da Ripple, a fim de melhorar a velocidade, além de ter a opção de usar a solução de liquidez sob demanda baseada em XRP da Ripple, que supostamente oferece um tempo de liquidação de 3 segundos para pagamentos internacionais.

Em um comunicado, Riteesh Singh - vice-presidente sênior da FMS, Finastra - disse que a colaboração da Finastra com a Ripple reflete a "crença da empresa de que o futuro das finanças está aberto".

Ele acrescentou que o uso da tecnologia blockchain seria um benefício especial para clientes em jurisdições onde os custos dos bancos correspondentes são altos.

Clientes de alto nível, mas ainda há controvérsias na comunidade

Em agosto, o PNC - o oitavo maior banco dos Estados Unidos, com quase US$ 400 bilhões em ativos - tornou-se o primeiro do país a começar a usar a rede blockchain RippleNet para pagamentos transfronteiriços.

Com o preço do token XRP, no entanto, continuam diminuindo, o CEO da Ripple, Brad Garlinghouse, respondeu a uma série de controvérsias relacionadas à Ripple em entrevistas recentes, dizendo no programa apresentado pelo cofundador da Morgan Creek Digital Assets Anthony Pompliano em 9 de outubro que a transparência da empresa “nos abriu para o ataque.”

Em um aceno às preocupações em andamento sobre o manuseio das vendas de tokens XRP pela Ripple, Garlinghouse enfatizou que a Ripple vende XRP a 10 pontos base do volume diário do mercado, observando que 99,9% do volume de XRP não tem relação com as vendas da empresa.