Omni Rentals, apoiada pela Ripple, pode fechar no fim de 2019

A Omni Rentals, uma startup de armazenamento e aluguéis que recebeu financiamento de US$ 35 milhões e é apoiada pela grande empresa de criptografia Ripple, estaria encerrando suas operações. A Omni estaria planejando fechar sua plataforma até o final de 2019, com cerca de 10 dos engenheiros da Omni contratados pelo importante serviço americano de exchange e carteira de criptomoedas Coinbase, informou o TechCrunch em 25 de novembro.

A Omni não se pronunciou oficialmente sobre o fechamento até a publicação deste texto e não respondeu aos pedidos de comentário do Cointelegraph.

Uma fonte anônima da Omni disse ao TechCrunch que a empresa deve encerrar suas operações e espera fechar a plataforma até o final deste ano.

Outras fontes anônimas próximas à Omni relataram que o serviço era bom para os clientes, mas escalá-lo teria sido difícil e caro.

Como o Cointelegraph relatou, a Coinbase já havia discutido anteriormente a oportunidade de contratar a equipe de engenharia da Omni no início de outubro de 2019. Os negócios da Omni supostamente estavam indo mal na época, pois a plataforma estava com dificuldades em encontrar clientes.

Em uma tentativa de resolver a situação, a startup planejava lançar um serviço de white label, permitindo que os comerciantes operassem e comercializassem seus próprios negócios de aluguel.

Um representante da Coinbase disse ao TechCrunch que a empresa chegou a um acordo com a Omni para contratar membros de sua equipe de engenharia, mas não confirmou se a nova equipe trabalhará na exchange.

Lançado em 2015, a Omni recebeu US$ 25 milhões da Ripple no início de 2018 por um projeto de serviço de white label. Ainda não está claro se a empresa planeja devolver os recursos captados aos seus investidores.

Enquanto isso, a Ripple realizou recentemente outro grande investimento. Em 25 de novembro, a Ripple fez um investimento final de US$ 20 milhões em ações na rede de transmissão de dinheiro MoneyGram, como parte de seu compromisso de investir US$ 50 milhões em ações.