O mais rico príncipe saudita diz que o Bitcoin irá colapsar como a Enron

Na terra de inúmeros príncipes e bilionários, o príncipe Alwaleed bin Talal é o mais rico de todos. Ele é o neto do fundador da Arábia Saudita, o rei Abdulaziz Alsaud. Segundo a Forbes, ele é o 45º homem mais rico do mundo. Através de sua empresa Kingdom Holding Co, ele detém participações em uma variedade de empresas, incluindo Lyft, Twitter, Citigroup e até o Savoy Hotel em Londres.

Ele construiu uma reputação para si mesmo como um investidor em fase inicial em empresas de tecnologia como Twitter e AOL, mas parece ter perdido o trem do Bitcoin. Ele já esteve envolvido na controvérsia depois de ser acusado de exagerar sua riqueza para chegar à lista de 10 bilionários da Forbes.

Concorda com Jamie Dimon

Falando no Squawk Box da CNBC, o príncipe disse:

"Eu não acredito nessa coisa de Bitcoin. Eu acredito que ele vai implodir um dia. Eu acho que a Enron está fazendo escola".

Apesar de sua reputação como pioneiro em novas e bem-sucedidas tendências tecnológicas, o príncipe disse que a falta de uma autoridade governamental centralizada era a razão pela qual o fracasso do Bitcoin é certo. Ele tem muito em comum com o CEO do Chase, Jamie Dimon, a esse respeito.

"Simplesmente não faz sentido. Não está sob a supervisão do Federal Reserve dos Estados Unidos ou de qualquer outro banco central. Não acredito nisso. Estou de acordo com Jamie Dimon".

Por que a Enron?

A caso Enron foi um caso de fraude de livros didáticos - uma empresa que usa lacunas contábeis para apresentar uma imagem enganosa, auditores coniventes com a administração e uma diretoria cega às falhas dos gerentes e executivos. O resultado dessa fraude sistêmica foi a falência da Enron e a dissolução da Arthur Andersen, que era uma das cinco maiores firmas de auditoria do mundo naquela época.

Simplesmente não há semelhanças entre uma empresa fraudulenta e uma moeda descentralizada. O principe, aparentemente, acredita que o preço do Bitcoin entrará em colapso, já que o preço da ação da Enron entrou em colapso de US $ 90 para menos de US $ 1.

Bitcoin ameaça o "estabilishment"

O que Jamie Dimon e o príncipe Alwaleed não percebem (ou não querem perceber) é que estar fora do controle de uma autoridade central governante não é a fraqueza do Bitcoin, mas é justamente sua força. Vimos governos autoritários, incluindo a China e a Rússia, tentando amordaçar o Bitcoin, fechando casas de câmbio e propondo regulação rigorosa.. O Bitcoin ameaça o estabilishment, deixando as pessoas controlar o dinheiro deles. Não é de admirar que a realeza de Wall Street e os príncipes do Oriente Médio se sintam ameaçados o suficiente para falar mal dele.