Reportagem diz que irmão de George Bush recebeu US$ 300 mil para se encontrar com a 'Cryptoqueen' da OneCoin

Alega-se que Neil Bush tenha recebido US$ 300.000 para participar de uma reunião envolvendo o cofundador da OneCoin e Ruja Ignatova, conhecida como "Cryptoqueen" e atualmente foragida.

Como o Law360 relatou em 15 de novembro, o testemunho em um Tribunal Distrital dos EUA no Distrito Sul de Nova York continha alegações contra Neil Bush, irmão do ex-presidente George W. Bush e filho do falecido presidente George Bush.

Emaranhados de irmãos

Como o Cointelegraph relatou, a OneCoin está entre os mais infames supostos golpes de saída (exit scam) do setor de cripto.

Fundada em 2014, a empresa com sede na Bulgária permanece totalmente operacional até o momento desta publicação, apesar das alegações dos investigadores de que ela arrecadou 4 bilhões de euros (US$ 4,4 bilhões) em um esquema de Ponzi.

A "Cryptoqueen" Ignatova é irmã do cofundador da OneCoin, Konstantin Ignatov, que assinou uma confissão de culpa em conexão com a suposta fraude em 4 de outubro e agora pode pegar até 90 anos de prisão.

Ignatova foi indiciada por lavagem de dinheiro e fraude, mas segue foragida.

A conexão com Bush

Como relata o Law360, o ex-advogado de Lock Lorde LLP Mark Scott está atualmente em julgamento por supostamente conspirar com Ignatova e seu irmão na OneCoin. Ele afirma que acreditava que o esquema era legal.

Neil Bush, um empresário, havia sido interrogado pelo FBI devido a seu papel como membro do conselho da Hoifu Energy, de propriedade do rico empresário chinês Dr. Hui Chi Ming.

Uma das empresas de Ming é acusada de ter conseguido um empréstimo de US$ 60 milhões para comprar um campo de petróleo africano e a conselho de Scott argumentou posteriormente que o envolvimento indireto de Bush com o negócio contribuiu para que Scott se sentisse confiante o suficiente para negociar com os envolvidos.

O acordo sobre o campo de petróleo deveria ser financiado em dinheiro e "uma parcela muito grande do preço de compra" na OneCoin. Detalhes do interrogatório do FBI com Bush foram ouvidos no julgamento, com Garvin afirmando:

“Bush lembrou que o chefe da Hoifu Energy, Dr. Hui Chi Ming, recebeu um monte de criptomoedas por um acordo de petróleo em Madagascar. Bush tinha um interesse residual na criptomoeda do acordo com o petróleo. Bush conheceu a mulher da empresa de criptomoedas Ruja Ignatova, em Hong Kong, com o dr. Hui."

No julgamento, o juiz Ramos teria perguntado ao advogado de Scott, David Garvin:

"Então, houve uma reunião real entre Ignatova, Bush e Hui?"

Garvin confirmou a reunião, observando que Bush recebeu US$ 300.000 por sua participação.

O relatório do FBI alegou que Hui havia prometido a Bush 10% da venda se Hui pudesse vender a criptomoeda - mas o negócio acabou por não se concretizar.

O juiz anulou os pedidos de Bush depor perante o tribunal, atendendo ao argumento dos advogados de Bush de que isso não seria relevante, dado que Bush não estava no conselho da empresa Hui específica envolvida na venda.

O juiz concordou ainda que o testemunho de Bush não acrescentaria mais nada ao que já estava incluído no relatório do FBI.

Ignatova segue em liberdade

Conforme relatado, Ignatov testemunhou em 6 de novembro que, depois que sua irmã fugiu, o pessoal de segurança que a acompanhava lhe disse que havia se encontrado com falantes de russo. Isso levou jornalistas investigativos a alegar posteriormente que ela tem o apoio e a proteção de uma pessoa russa "rica e poderosa" não identificada.