Relatório diz que quase 75% da energia utilizada na mineração de Bitcoin vem de fontes renováveis

Um novo estudo sobre mineração de Bitcoin, conduzido pelo Fidelity Center for Applied Technology e distribuído pelo site CoinShares na segunda-feira, 17 de junho, mostra que quase 75% da energia elétrica utilizada para este fim vem de fontes limpas.

"Calculamos uma estimativa conservadora da penetração de fontes renováveis de energia na mineração de Bitcoin em 74,1%, fazendo com que essa atividade seja mais limpa do que praticamente todas as outras grandes atividades industriais do planeta."

Segundo o relatório, a análise geográfica das principais empresas deixa claro que "grande parte da mineração de Bitcoin é realizada em regiões onde existe ampla oferta de energia renovável disponível."

O relatório também mostra que os custos com a mineração, especialmente com energia, assim como outros índices importantes como taxa de depreciação de equipamentos, caíram consideravelmente em 2019, fazendo com que a atividade seja atualmente bastante lucrativa.

"Com os custos atuais, o minerador médio é bastante lucrativo. Tanto aqueles com equipamentos antigos quanto os mineradores com alto custo hoje são capazes de ter um retorno de investimento (ROI) positivo."

A indústria bilionária de mineração, parte essencial do funcionamento do Bitcoin, deve arrecadar US$ 6,2 bilhões em 2019, sendo 94% deste valor em novas moedas e 6% (ou cerca de US$ 372 milhões) em taxas de transação.