Relatório diz que exchanges cripto têm os menores volumes de negociação desde 2017

Os volumes negociados em exchanges de criptomoedas caíram para novas mínimas em janeiro, de acordo com uma análise publicada pela firma de pesquisa de cripto e blockchain Diar em 4 de fevereiro.

Desde o início do ano, as exchanges digitais registraram volumes de negociação menores, cravando novas mínimas que não eram registradas desde 2017. A Diar observa ainda que esse acabou sendo o pior período para a maior exchange cripto do mundo por volume de negociação ajustado, a Binance, já que seu par Bitcoin (BTC)/dólar dos EUA (USD) caiu em mais de 40% em comparação a dezembro de 2018.

Quanto à maior exchange cripto norte-americana, a Coinbase, seu mercado de BTC/USD está supostamente também experimentando pisos que não eram vistos desde maio de 2017, em torno de US$ 1 bilhão.

Gráfico de volume de negócios da Coinbase. Fonte: Diar

A exchange cripto sediada em Hong Kong OKEx teria perdido sua tendência de crescimento de três meses no volume de negociações, caindo abaixo da marca de US$ 4 bilhões de seu ponto mais alto, que estava em torno de US$ 5,5 bilhões.

Gráfico de volume de negócios da OKEx. Fonte: Diar

O relatório vem na sequência das declarações feitas pelo CEO da Binance, Changpeng Zhao, em novembro de 2018, quando ele afirmou que a empresa não estava preocupada com os baixos volumes de comércio causados ​​pela queda do mercado no início do mês. Zhao então disse que a Binance tinha um décimo do volume de negócios que teve em janeiro de 2018, mas ainda estava negociando muito mais que os volumes de "dois ou três anos atrás".

Em dezembro, um relatório preparado pelo Blockchain Transparency Institute (BTI) afirmou que a maioria dos 25 principais pares de negociação BTC listados na CoinMarketCap são baseados em volumes falsos inflados “grosseiramente”. “Evidência clara” do wash trading foi supostamente encontrado para tais exchanges cripto como Huobi e HitBTC, “mas em menor grau” do que a OKEx. O BTI também analisou a Bithumb e encontrou “uma grande quantidade” de wash trading principalmente com as altcoins Monero (XMR), Dash, Bitcoin Gold e ZCash (ZEC).

Em janeiro, Diar divulgou uma análise mostrando que o valor de transação on-chain da terceira maior criptomoeda, o Ethereum (ETH), atingiu um máximo histórico em dezembro de 2018, chegando a 115 milhões. A Dair declarou: "Em termos de contagem de transações on-chain, o 'super computador' encontrou estabilidade desde outubro, oscilando entre 16 e 17 milhões de transações mensais".