Especialistas dizem que próximo halving do Bitcoin pode não trazer alterações nos preços

O halving da rede Bitcoin irá acontecer em maio de 2020 e, ao contrário do que muitos acreditam, alguns analistas acreditam que o evento pode não ter um efeito imediato no preço do ativo digital.

A rede Bitcoin passa por seu halving a cada quatro anos. Durante o aguardado evento, a recompensa gerada para os mineradores a cada bloco (10 minutos) cai pela metade.

Isso faz com que a entrada de novos Bitcoins no mercado caia pela metade de um dia para o outro, causando um choque de oferta no mercado do ativo digital. 

Muitos analistas acreditam que isso é um fator positivo para o Bitcoin, pois o evento enfatiza a escassez digital do ativo - o que geralmente atrai uma maior demanda de investidores.

Apesar do otimismo, o halving pode não ter um impacto dramático em seu preço. Alguns analistas acreditam que o evento não irá impactar o preço do ativo digital.

O ex-analista de mercado sênior da eToro, Mati Greenspan, falou sobre o evento:

“Meu sentimento é que o próximo halving não está precificado. Meu melhor palpite sobre a ação de baixa no segundo semestre de 2019 é devido a uma guerra em andamento entre os mineradores de criptomoedas. Houve uma rodada de novas tecnologias nos últimos meses que torna obsoletas as antigas plataformas de mineração. Portanto, os mineradores que estavam escondendo seu Bitcoin na corrida de touros agora venderam alguns para atualizar seus equipamentos.”

A CSO da CoinShares, Meltem Demirors, disse que existe uma possibilidade muito real de o preço do Bitcoin não subir depois do halving. Em um "tweet" recente, Demirors declarou:

“Pela primeira vez, existe um mercado robusto de derivativos [futuros, opções] para o Bitcoin. A maioria das empresas que desejam especular sobre Bitcoin negociará um derivado, não o ativo subjacente.”

Demirors acredita que houve um crescimento significativo no mercado de Bitcoin e no mercado de derivativos de criptomoedas. Ela afirmou que essas novas formas de se investir em Bitcoin podem segurar o preço do ativo após o halving.

A CSO disse que, quando o setor de derivativos "decola", os produtores (mineradores) perdem o direito de definir preços. Segundo ela, o preço do Bitcoin se separaria de seu valor (oferta e demanda), e ele se tornaria um ativo mais investível.

Mas nem todos concordam com esta visão. Jack Mallers, desenvolvedor de Bitcoin (atualmente trabalhando na Zap, empresa focada na Lightning Network), cujo pai e avô trabalhavam na indústria de derivativos, discordou de Demirors.

Mallers admitiu que os derivativos ajudam na eficiência do mercado e na descoberta geral de preços, mas afirmou que esses instrumentos financeiros não afetam uma dinâmica simples de oferta e demanda.

Mallers explicou que os negociadores de derivativos nunca estabelecem o preço de um ativo - e sim a dinâmica da oferta e demanda. Segundo ele, é impossível prever como a demanda reagirá à nova oferta quando ocorrer um choque no mercado do ativo (como o halving).

Não existe um consenso geral sobre qual efeito o halving da rede Bitcoin vai causar no mercado de criptomoedas, mas alguns investidores já começaram a acumular o ativo digital. Como mostrou o Cointelegraph, na semana passada o bilionário Bill Pulte anunciou que comprou 11 Bitcoins.