Projeto irá mapear miscigenação brasileira com dados na blockchain

Um projeto baseado em blockchain irá identificar geneticamente e mapear a miscigenação da população brasileira, segundo publicação do portal StartSe.

Com o nome "Cores do Brasil", a pesquisa pretende mapear o DNA dos brasileiros, identificando questões como ancestralidade e impacto sobre a miscigenação. A ideia do projeto é traçar os índices de porcentagem de influência de outras nações na constituição demográfica nacional.

O projeto foi lançado no Brasil pela empresa de biotecnologia Portunus e os dados coletados serão armazenados na blockchain da GenoBank, empresa norte-americana especializada em coleta e armazenamento de dados  biológicos.

Na publicação, a cofundadora da Portunus, Isis Eich, afirma:

"Na blockchain existem chaves e você só consegue acessar a informação com essas chaves, que ficarão com o usuário e cabe a ele liberar ou não, de forma inteira ou parcialmente"

As informações coletadas no projeto não serão compartilhados com empresas, continuando sobre propriedade dos participantes que podem decidir por monetizar ou não suas informações genéticas.

A iniciativa é semelhante à coleta de dados realizada pela startup do Vale do Silício 23andMe que, além da ancestralidade, mapeia a pré disposição genética a doenças.

De acordo com a publicação, o projeto Cores do Brasil está levantando fundos através do Catarse para realizar o sequenciamento do mapa genético da população brasileira.