Poder ao povo: Uma plataforma descentralizada liga consumidores ao varejo

As pessoas continuam comprando suas coisas, mas há uma crise ou, como dizem alguns especialistas, um   apocalipse no varejo que começou nos EUA e rapidamente se espalhou para as outras partes do mundo. Em 2017, cerca de 9 mil lojas foram fechadas na América. Muitos varejistas, incluindo o Toys 'R' Us, declararam falência em maior número do que durante a "Grande Recessão".

Por que algumas lojas e marcas são mais bem-sucedidas do que outras? Muitos varejistas não entendem a "experiência do cliente" e não conseguem adotar a tecnologia. Os clientes saem de suas lojas com as mãos vazias e sentem que acabaram de desperdiçar seu tempo.  

A maneira como as lojas se portam para vender e comercializar seus produtos não funciona mais: A mentalidade do comprador mudou. Do negócio de "vender coisas", o varejo se transformou em um negócio de engajamento do cliente.

Em 2018, o sucesso do varejo será sobre o quão bem os varejistas se adaptarão ao mercado em plena mudança ao seu redor e às necessidades de seus clientes. A tecnologia Blockchain poderia juntar marcas e consumidores, construir um novo sistema de recompensas e tornar a cadeia de suprimentos mais transparente.

O que os clientes realmente querem?

Os clientes não são mais leais às marcas, estão insensíveis à propaganda e simplesmente não possuem mais tempo para desperdiçar em uma loja troll (que engana o cliente, não fornece a solução ideal). Eles (os clientes) estão se movendo principalmente online, mas a qualidade ou a escolha de um tamanho sempre é uma loteria.

A solução poderia ser omnichannel - uma abordagem multicanal para comercializar, vender e atender os clientes de forma a criar uma experiência integrada de cliente.

Por exemplo, alguns varejistas de moda, como o Oasis com sede no Reino Unido, estão envolvendo clientes através do site, do aplicativo móvel e associados de vendas na loja, armados com iPads para fornecer informações precisas e atualizadas sobre o produto.

A Shping , uma empresa de tecnologia australiana, de um passo adiante nesta ideia, criando um ecossistema vivo e funcional que permite aos compradores acessar informações úteis sobre os produtos que querem comprar.

Usando o aplicativo Shping, os compradores podem digitalizar códigos de barras para saber onde um produto é fornecido e até os ingredientes em algumas circunstâncias. As certificações de produtos, informações nutricionais e de alergénios e o status de "recall" de produtos podem ser acessados ao lado de vídeos divertidos e comentários de produtos fornecidos por outros usuários do Shping App através de uma verificação de código de barras. Para as marcas participantes, o aplicativo Shping pode até validar a autenticidade dos produtos para ajudar os clientes a evitar falsificações e outros bens questionáveis. Graças à mais nova parceria da empresa com a Everledger, o aplicativo Shping também pode ser utilizado em breve para autenticar diamantes e outros ativos de alto valor.

Para influenciar ainda mais as decisões do usuário do aplicativo na loja, as marcas de produtos e varejistas podem recompensar os compradores por seu compromisso e lealdade com uma criptomoeda chamada Shping Coin (símbolo SHPING), que acaba de ser divulgado ao público em um Token de pré-venda.

Como a criptomoeda pode ajudar a mudar os hábitos de compras?

"Shping está fornecendo uma solução integral para a economia de "curta atenção", conectando marcas e seus clientes, permitindo aos consumidores tomar decisões de compra mais inteligentes e seguras e recompensá-los com criptomoedas em vez de direcionar orçamentos para intermediários publicitários", afirmou o CEO da Shping, Gennady Volchek.

A empresa está construindo a maior base de dados de produtos do mundo usando uma variedade de fontes - dados fornecidos por órgãos de certificação, como   Australian Certified Organics , portais de recall de produtos, autoridades governamentais, como o neo-zelandês AsureQuality , bem como dados de marcas participantes e varejistas.

A Shping também estabeleceu parcerias com membros locais da   GS1 , organização que desenvolve e mantém padrões globais para sistemas de informação comercial e códigos de barras. Parceiros na GS1, Austrália, Malta, Azerbaijão, Cingapura e Rússia selecionaram o Shping como um parceiro tecnológico para a rastreabilidade de produtos.

De acordo com a Volchek, mais de 30 milhões de produtos foram adicionados ao banco de dados global Shping. A tecnologia está crescendo todos os dias e pode se tornar a base para um novo sistema de varejo baseado em Blockchain, esperam os fundadores.

 

Aviso legal. A Cointelegraph não endossa nenhum conteúdo ou produto nesta página. Embora tenhamos o objetivo de lhe fornecer todas as informações importantes que possamos obter, os leitores devem fazer suas próprias pesquisas antes de tomar quaisquer ações relacionadas à empresa e assumir a total responsabilidade por suas decisões, nem este artigo pode ser considerado um conselho de investimento.