Polkadot apresenta sua versão experimental chamada "Kusama"

O protocolo de interoperabilidade entre Blockchains, Polkadot, introduziu sua “canary network” apelidada de Kusama, que representa uma versão experimental do protocolo.

No post publicado em 16 de julho, Polkadot apresentou uma versão experimental do protocolo Kusama, projetado para condições econômicas reais. Kusama permitirá que os desenvolvedores criem e usem um parachin ou testem a governança, o staking e outras funções de Polkadot em um ambiente real.

Para "entrar neste desconhecido e ver o que o caos espera"

Gavin Wood, fundador da Polkadot e associado Web3 Foundation, disse no anúncio que a empresa "decidiu dispensar o uso de redes falsas (testes) com incentivos pré-concebidos e simplesmente oferecer uma recompensa geral para os portadores de token e deixar que a rede cuide de si mesma." Wood acrescentou ainda: "Vamos dar o primeiro passo para este desconhecido e ver o que o caos nos espera".

Os posts elaboram que Kusama só existirá enquanto houver uma demanda da comunidade. Polkadot espera que a Kusama desbloqueie novas funcionalidades e projetos de alto risco que serviriam como um estágio de preparação para desenvolvimento e implantação no Polkadot.

Alimentado por um token nativo

A rede Kusama será alimentada pelo seu token nativo chamado KSM. O token será distribuído da mesma forma que os DOTs são. Especificamente “se você comprou DOTs na venda, então você possui uma parte igual da rede Kusama. A Fundação Web3 usará algumas de suas propriedades para financiar um faucet para aqueles que atualmente não possuem DOTs. ”

A empresa observa que o lançamento real de Kusama está programado para este verão.

No final de junho, a Polkadot distribuiu 500.000 tokens DOT a um preço desconhecido, mas supostamente de acordo uma avaliação da empresa, o valor gira em torno de US$ 1,2 bilhão. Durante a rodada, a Polkadot supostamente vendeu 5% da oferta total de tokens, o que teoricamente teria trazido US$ 60 milhões para a equipe de gerenciamento do protocolo.