Não, não é o Facebook: o preço do Bitcoin já subiu 200% em 2019 antes do Libra

O Bitcoin (BTC) já estava sendo negociado acima de US$ 9 mil quando o Facebook formalmente divulgou o protocolo de sua criptomoeda Libra.

Apesar de muitos comentaristas argumentarem que o pico atual de preços do Bitcoin se deve ao gigante de mídia social, uma olhada nos dados coloca o impulso do Bitcoin muito à frente do Libra.

Como o Cointelegraph relatou, o Facebook revelou um site para seu esquema de criptomoeda em 18 de junho, quando o par BTC/USD estava em torno de US$ 9200.

Depois que o site foi ao ar, a maior criptomoeda na verdade caiu de preço por vários dias antes de recuperar o terreno para subir para máximas atuais acima de US$ 11.300.

O mercado de touro do Bitcoin começou em 1º de abril, tendo vários ciclos de altos e baixos, mas definitivamente revertendo sua tendência de queda anterior, que o levou a apenas US$ 3130.

No entanto, a ideia de que é exclusivamente o Facebook está alimentando o aumento do preço do Bitcoin continua a permear a imprensa, incluindo os principais nomes da mídia.

"O Bitcoin tem subido lentamente - para seus padrões próprios - nos últimos meses, mas o lançamento do Libra do Facebook foi claramente um catalisador para o recente aumento", disse Craig Erlam, analista sênior de mercado da trading financeira Oanda, ao The Guardian em artigo publicado em 24 de junho.

A confusão parece derivar de um conceito relacionado de que o interesse e a publicidade do Libra terão um efeito indireto para a criptomoeda em geral.

“A publicidade que o lançamento trouxe mais uma vez ao espaço, combinada com a legitimidade que oferece, excitou compreensivelmente a comunidade”, acrescentou Erlam.

Outras fontes entretanto concordaram sobre o papel limitado do Facebook, mas não creditavam no próprio Bitcoin, com a Bloomberg chamando o entusiasmo atual de "o retorno de um sonho especulativo".

No entanto, à medida que os detalhes dos planos do Facebook diminuem, as críticas sobre as características técnicas do Libra aumentam, o que, indiscutivelmente, o deixa com pouco em comum com as blockchains públicas.

Longe de consumidores leigos, estão as instituições que parecem estar tomando o centro das atenções no interesse do Bitcoin. Os ágios de 40% sobre os fundos públicos da Grayscale Bitcoin Investment Trust (GBTC), juntamente com o volume recorde de negociação de futuros de Bitcoin, são dois exemplos recentes do fenômeno.

O Cointelegraph publicou recentemente um texto dedicado resumindo os fatores mais prováveis ​​por trás do crescimento do Bitcoin para US$ 11.000 e possivelmente além.