NASA promove hackathon no Brasil e aceita projetos envolvendo criptomoedas e blockchain

A NASA realizará um hackathon no Brasil, conforme comunicado oficial divulgado pela agência espacial norte-americana.

Segundo a NASA, o Space Apps Challenge 2019 acontecerá entre os dias 18 e 20 de outubro em vários municípios brasileiros diferentes. Também será realizado, simultaneamente, em mais de 200 cidades pelo mundo.

As inscrições já estão abertas e devem ser feitas até o dia 10 de outubro. As vagas são gratuitas e limitadas a 500 participantes.

"A edição do NASA Space Apps Curitiba deste ano está muito especial. Além de abrigar um dos maiores hackathons do sul do país, o evento dispõe do nome forte da NASA para gerar impacto no ecossistema local de inovação, promovendo atividades de conexão entre os atores locais e, por meio da feira de inovação, trazendo experiências gratuitas para o público vivenciar e melhor entender o setor", explica Marcela Lachowski, organizadora do NASA Space Apps Challenge Curitiba e Desenvolvedora de Negócios no JUPTER. Ela continua:

"Além disso, as possibilidades se estenderão à pós-hackathon, onde os participantes terão possibilidades de aplicar as soluções criadas durante a hackathon em projetos reais e oportunidades exclusivas de recrutamento nas empresas parceiras do evento”.

Aplicações em blockchain são muito bem-vindas no evento. Na edição 2018, durante a final global do hackathon, o cientista Kristijan Smiljanic abordou especificamente a tecnologia em sua palestra “Potential applications of Blockchain technology”.

Ainda em 2018, a Space Trove, desenvolveu uma aplicação baseada em blockchain, aliando a tecnologia à realidade virtual para criar uma plataforma colaborativa multiplayer, que mereceu indicação global da NASA e que permite aos usuários explorar locais reais em Marte com base em modelos 3D.

A blockchain permite que os usuários ganhem tokens que podem ser usadosr no jogo "Mars Scavenger Hunt", um jogo de mundo aberto onde os jogadores são solicitados a investir em determinados locais em Marte usando tokens ERC-721.