Nome no SPC e Serasa agora integrará cadastro 'positivo' no Banco Central do Brasil

O Banco Central do Brasil, declarou em comunicado publicado hoje, 11 de outubro, que  aprovou o registro de quatro gestores de banco de dados (GBDs) do Cadastro Positivo, responsáveis pelas informações de pagamento dos consumidores.

Segundo o BCB, agora, a Serasa S.A., Gestora de Inteligência de Crédito S.A. (Quod), Boa Vista Serviços S.A. e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL - SPC Brasil), integram o GBDs e a expectativa é que essas entidades ajudem a aprimorar a avaliação do risco de crédito, contribuindo para a redução do spread bancário.

“São os gestores de banco de dados que terão a responsabilidade de guardar e organizar as informações dos consumidores”, explicou o diretor de Organização do Sistema Financeiro e de Resolução do BC, João Manoel Pinho de Mello.

Os GBDs registrados deverão receber das instituições autorizadas a funcionar pelo BC as seguintes informações: operações de crédito, de arrendamento mercantil e de autofinanciamento, além de outras com características de concessão de crédito.

"Assim, eles terão condições de estabelecer uma nota de crédito (escore) para cada consumidor, definida de acordo com o pagamento de suas contas – operações de crédito (como empréstimos bancários, financiamentos imobiliários e cartão de crédito) e serviços continuados (como luz, água e telefone), por exemplo. O bom pagador terá um escore mais alto, e essa pontuação poderá ser considerada pelas instituições financeiras em eventuais concessões de crédito", disse o comunicado

Somente o escore de cada consumidor estará disponível. Para ter acesso a mais detalhes – como a discriminação dos valores pagos de uma conta de telefone, por exemplo –, será necessária a autorização expressa do detentor da informação.  

O BC acredita que o novo Cadastro Positivo pode contribuir para uma melhor avaliação do risco de crédito, com a consequente redução do spread bancário, a diminuição da inadimplência e o aumento da competição no âmbito do Sistema Financeiro Nacional (SFN). Aos que desejarem sair do sistema, basta fazer a solicitação a um dos GBDs. A exclusão das informações do solicitante deve ser feita em até dois dias úteis em todos os sistemas registrados no BC.

Como noticiou o Cointelegraph, o Banco Central do Brasil vem promovendo uma série de mudanças no sistema financiero nacional, entre elas, a substituição das operações de DOC e TED por um novo sistema chamado pagamentos instantâneos

Segundo o BCB será usado um sistema centralizado no Banco Central que funcionará 24/7 usando um sistema de chaves públicas, ICP Brasil, que já é utlizado no Sistema de Pagamentos Brasileiros (SPB). Para realizar as transações financeiras no novo sistema serão utlizados quatro modalidades, incluindo QR code."" Blockchain não será incorporado no sistema, segundo o Banco Central.

"Para a inserção dos dados para iniciação do pagamento, haverá quatro opções: inserção manual dos dados pelo pagador; envio prévio sistematizado de informações pelo recebedor, por meio de QR Code estático; envio prévio sistematizado de informações pelo recebedor, por meio de QR Code dinâmico; ou envio prévio sistematizado de informações pelo pagador, também por meio de QR Codedinâmico."