Informações vazadas supostamente mostram que US$ 318 milhões em criptomoedas da Mt.Gox foram liquidados na BitPoint

O fideicomissário dos procedimentos de reabilitação da extinta exchange de criptomoedas Mt. Gox teria vendido grandes quantidades de Bitcoin (BTC) e Bitcoin Cash (BCH) na plataforma de negociação BitPoint. A Cointelegraph Japão informou esse desdobramento em 5 de fevereiro, citando dados vaxados.

Um terceiro não identificado supostamente obteve informações dos processos judiciais envolvendo a Mt. Gox no Tribunal Distrital de Tóquio e mostrou para o GoxDox.com, grupo de campanha de credores da Mt. Gox.

As informações, que parecem ser varreduras incompletas de transações na BitPoint, supostamente confirmam que o fideicomissário da Mt. Gox, Nobuaki Kobayashi, vendeu moedas em uma grande exchange para pagar os credores.

"A menos que a BitPoint esteja sendo muito generosa, nós apostaríamos que eles estão depositando bilhões de ienes na conta bancária do fideicomissário porque foram contratados para vender o BTC/BCH da MtGox Estate", escreveu a GoxDox.

O processo para a compensação de usuários que perderam fundos no enorme hack sofrido pela Mt. Gox em 2014 foi longo e repleto de controvérsias.

Ao longo de todo o final de 2017 e no primeiro semestre de 2018, houve rumores de que as suspeitas liquidações de Kobayashi estavam manipulando o preço do Bitcoin devido a seu tamanho.

Discutindo o fenômeno do que é chamado de “Dumpening”, figuras conhecidas da criptomoeda observaram que Kobayashi ou um associado pode ter abertamente procurado usar os canais de vendas tradicionais desde o início.

Jesse Powell, CEO da exchange Kraken dos Estados Unidos, disse anteriormente que sua plataforma recebeu um pedido sobre métodos de venda em larga escala, algo a que a GoxDox também faz referência agora. No entanto, Powell observou que as sugestões da Kraken para vender moedas em um leilão ou com um corretor de balcão não foram postas em prática.

O montante total envolvido nos documentos vazados é de pouco menos de 35 bilhões de ienes (US$ 318,5 milhões).

Na semana passada, mais revelações do processo de compensação mostraram que uma credora da Mt. Gox, a CoinLab, fez uma reivindicação sobre fundos no valor de 16 bilhões de dólares.