Maioria dos entrevistados faz comentários negativos sobre a revisão da SEC do ETF Bitcoin da VanEck/SolidX

Múltiplos respondentes apresentaram comentários à Comissão de Valores Mobiliários (SEC) dos Estados Unidos sobre a mais recente mudança de regra proposta para o fundo negociado em bolsa (ETF) Bitcoin (BTC) da VanEck/SolidX. Os comentários até o momento foram enviados entre 13 de fevereiro e 12 de março.

Conforme relatado, a BZX Equity Exchange da CBOE - a bolsa que prospectivamente listaria o ETF Bitcoin - retirou temporariamente seu pedido de mudança de regra no ETF em janeiro, citando o impacto negativo da paralisação do governo dos EUA nas operações da SEC. A CBOE então reapresentou o pedido de apreciação da SEC no final do mês.

Em 19 de fevereiro, a SEC anunciou que em breve começaria o período de contagem regressiva formal para aprovação ou não do produto, solicitando feedback do público.

Entre os sete comentários apresentados até agora, seis instam fortemente o regulador a não aprovar a proposta da VanEck/SolidX.

A única resposta que afirma o valor positivo da aprovação do ETF Bitcoin é do entrevistado Sami Santos de 12 de março, que se envolve com a justificativa anteriormente dada pela SEC para desaprovar outras propostas do ETF:

“A desaprovação de um ETF por causa da manipulação e da [...] proteção aos investidores é contraditória, porque sem um fundo de investimento o investidor é suscetível a comprar bitcoins em exchanges desregulamentadas e perder seus investimentos”.

Notando que a VanEck “oferece seguro para cobrir possíveis perdas”, Santos argumenta que a aprovação do ETF criaria maior segurança no mercado ao fornecer mais “liquidez, transparência e custódia segura de ativos que terão credibilidade para grandes investidores”.

O comentário negativo mais longo - do entrevistado Sam Ahn em 13 de fevereiro - se concentra na falta de valor intrínseco do Bitcoin. Ahn acusa os proponentes do ETF e o próprio white paper do Bitcoin , datado de 2008, de “exagera[n]do grande[mente]” a complexidade matemática envolvida na mineração de Bitcoin. A declaração dos candidatos, afirma ele, "funciona como um fosso em torno do castelo da mineração de bitcoin, mantendo-nos longe da realidade dos bitcoins".

Outros comentários mais concisos - ecoando em parte por parte de Ahn - enfocam a alegada falta de valor do Bitcoin como produto financeiro, sua volatilidade e manipulação de mercado “por poucos”. Um entrevistado, D. Barnwell, fornece um argumento em que propõe:

"Eu pediria à SEC [...] que tomasse uma" abordagem de vigilância e espera "[...] a coisa verdadeiramente revolucionário é a tecnologia subjacente blockchain, não a criptomoeda. E para fazer avanços nessa tecnologia que muda a indústria, não é preciso ter um produto financeiro baseado na criptomoeda.”

Como relatado anteriormente, o presidente da SEC, Jay Clayton, afirmou recentemente que “pode haver um caso em que um ETF Bitcoin possa satisfazer nossas regras”. Ele sugeriu que a tecnologia está “demonstrando uma promessa significativa nos lugares onde é consistente com nossa abordagem de aumento de capital” no passado."

Como o Cointelegraph reportou ontem, a SEC também está solicitando contribuições da indústria, uma vez que ela potencialmente reconsidera as regras de custódia existentes em casos específicos de negociação e liquidação de ativos digitais.