Analista da Monfex diz que criptomoeda do app de mensagens Telegram poderia arrecadar US$4 bilhões até 2022

O analista de criptomoedas Alex Sofpel lançou recentemente um artigo prospectando os possíveis ganhos da gigante de comunicação Telegram e sua nova criptomoeda. Sofpel trabalha para plataforma de negociação Monfex, e prevê que o token GRAM poderia gerar US $ 4 bilhões em receita para o Telegram em 2022.

O Telegram é um aplicativo de mensagens extremamente popular, focado na privacidade dos dados, que teria mais de 200 milhões de usuários mensais, disponível em uma grande variedade de plataformas e países.

Com uma grande parcela da base de usuários do Telegram já familiarizada com a moeda digital, o Telegram está buscando expandir sua presença, oferecendo uma série de serviços descentralizados em sua plataforma blockchain - o Telegram Open Network.

A análise de Sofpel baseia-se em duas hipóteses centrais. Em primeiro lugar, o Telegram atingirá 1 bilhão de usuários ativos mensais até 2022, o que faz parte do campo de atuação do Telegram para investidores na fase de venda privada. Os números tem como alicerce uma base inicial de 200 milhões de usuários em 2018 e uma taxa de crescimento anual de 50%.

A segunda suposição é que cada usuário ativo gerará US$ 5 em receita anual, baseada nas receitas geradas pelos usuários do WeChat (US$ 5,60) e do Google Pay (US$ 6). A análise aponta para as receitas do WeChat de US$ 5,1 bilhões para uma base de 900 milhões de usuários.

Em dezembro de 2017, o Telegram anunciou o lançamento de sua nova plataforma de blockchain descentralizada denominada “Telegram Open Network (TON)”. Ao mesmo tempo, a Telegram declarou que abriria a venda de seu próprio token de criptomoeda chamado “GRAM”.

A visão da rede aberta do Telegram seria transformar seu popular serviço de mensagens em um conjunto completo de serviços baseados em blockchain para a economia descentralizada.

De acordo com uma publicação, a plataforma TON incluirá pagamentos de criptomoedas ponto a ponto (P2P), uma experiência de navegação privada, criação de dApp e hospedagem de arquivos. O Telegram buscou um aumento de US$ 1,2 bilhão para o desenvolvimento da TON através de uma oferta inicial de moedas (ICO) para seu token GRAM.

O token GRAM do Telegram será usado como uma unidade de troca dentro da rede aberta do Telegram. O token seria similar em escopo à oferta que o Facebook sugeriu lançar, para uso em toda a sua família de produtos. A principal diferença é que o Telegram agora já tem uma grande vantagem entre os usuários de criptomoedas, devido ao seu status como a ferramenta de comunicação principal para projetos de blockchain.

A equipe do Telegram confirmou aos investidores que planejam lançar a rede de testes TON em breve. Uma carta de atualização do investidor divulgada no Medium em fevereiro indica que o projeto está 90% concluído. A carta também indicava uma data de lançamento para o testnet da TON para março de 2019, embora esta já tenha sido adiada.

TON e o token GRAM teriam o potencial de ser um divisor de águas para o Telegram. Ao oferecer um aplicativo de mensagens integrado com pagamento e outros serviços, o TON e o GRAM fornecem uma vantagem clara sobre os aplicativos de mensagens, como o Whatsapp, e podem rivalizar com serviços integrados, como o WeChat da China.

O lançamento do projeto parece ter sido adiado para outubro de 2019, como noticiou o Cointelegraph. Apesar da demora no lançamento da mainnet TON, o lançamento da rede de teste pode ser um passo positivo, com a equipe envolvida em discussões sobre novas possibilidades para o projeto.