Mike Novogratz: a Web 3.0 vai mudar o mundo, não o Bitcoin

A maior croptomoeda do mundo, o Bitcoin (BTC), não vai mudar o mundo pois é apenas uma reserva de valor, disse o CEO da Galaxy Digital Michael Novogratz durante o Ethereal Summit da ConsenSys em 11 de maio.

O notório búfalo do Bitcoin e ex-executivo de Wall Street Novogratz teceu os comentários durante um discurso chamado “The Herd Is Still Coming!” ("O rebanho ainda está chegando!") no evento da indústria, que teve o Cointelegraph como parceiro de mídia.

Começando com o Bitcoin, "já que ele veio primeiro", Novogratz disse que a moeda está "realmente se estabelecendo como reserva de valor", notando que ela "praticamente acabou" com as metas para provar-se uma reserva. Novogratz também comparou o ativo com o ouro, dizendo que ambos têm valor como uma construção social.

Já que o Bitcoin representa uma reserva de valor e atua como "ouro digital", ele não "vai mudar o mundo", diz Novogratz. Ele então disse que em vez disso será a Web 3.0 quem terá "o porencial de mudar o mundo. De acordo com Novogratz, a Web 3.0 propõe uma revolução sobre como as redes funcionam e os dados são tratados como se ela fosse "uma plataforma descentralizada para acessar informação. Ela separa os dados do processamento dos mesmos". O investidor ainda notou que ecossistemas como da Ethereum "muitos concorrentes estão competindo por este espaço."

Comparando várias criptomoedas com elementos químicos da tabela periódica, Mike também considerou o papel das altcoins, dizendo que cada moeda terá que "se provar" para ofececer um certo caso de uso. Na declaração, Novogratz argumentou que "não há ninguém construindo algo na blockchain Litecoin”, em contraposição à blockchain Ethereum, se referindo a um de seus tweets recentes.

Novogratz explicou:

“Se você acredita que o Bitcoin irá ganhar essa reserva de valor, todo o resto terá que ser usado pra outra coisa.”

Recentemente, Novogratz fez outra previsão sobre o Bitcoin, dizendo que a maior criptomoeda irá bater seu recorde histórico de US$ 20.000 nos próximos 18 meses.

Enquanto isso, os mercados cripto dispararam desde sexta-feira, com o Bitcoin em alta de 10% hoje até o momento, quebrando a faixa dos US$ 7.000 depois de ser negociado em cerca de US$ 4.000 durante a maior parte de 2019.