Mercado Bitcoin, Foxbit e BitcoinTrade declaram que regras da Receita Federal não prejudicaram negociações de Bitcoin

Sócios, CEO e fundadores das três principais plataformas de compra e venda de Bitcoin do Brasil, segundo dados do Cointrademonitor,fizeram declarações positivas sobre as novas normas da Receita Federal do Brasil que obriga exchanges nacionais a reportar todas as negociações de seus clientes. Segundo eles, não houve queda nas negociações após a aplicação da medida. As declarações foram encaminhadas ao portal CriptoFácil em 09 de outubro.

Segundo Marcos Alves, CEO do Mercado Bitcoin, em vez de queda a exchange verificou alta nos novos cadastros e transações, "Fizemos nas nossas redes e através de e-mails enviados aos clientes, uma campanha para informar sobre a Normativa e reforçar que estávamos prontos para atender. Assim, com algumas semanas de antecedência, conseguimos entregar as informações necessárias sobre todos as transações realizadas na plataforma", disse.

Já Natália Garcia, diretora do setor jurídico da Foxbit, disse que quando a norma foi anunciada gerou muitos questionamentos porém, com o tempo e com a efetiva vigência da nova norma, os questionamentos diminuíram e as negociações aumentaram.

“Antes do início da IN 1888 recebemos diversos tickets com questionamentos sobre o procedimento que os nossos clientes deveriam adotar (...) Depois do inicio da vigência não recebemos tantas perguntas, acho que os impactos no setor não foram muito grandes. Não houveram muitas mudanças nos bastidores, acredito que a Receita esteja também se adaptando com esse novo fluxo e novas informações que estão recebendo. Em breve acredito que teremos mais movimentações, principalmente com o reporte dos saldos no final do ano.”

Na mesma linha seguiu Daniel Coquieri, CEO da BitcoinTrade, que também destacou que o maior impacto foi no setor de atendimento referente a dúvidas de usuários, mas, "Do ponto de vista de perda de usuários, nós não sentimos um impacto específico. Não sentimos uma diminuição em usuários por conta da IN", disse.

Como noticiou o Cointelegraph, segundo informações publicadas pelo site Cointrader Monitor, em 2019 o Brasil ultrapassou a marca de R$ 10 bilhões de negociações em Bitcoin. É a primeira vez que a marca é ultrapassada, o recorde anterior era de R$ 8 bilhões, em 2017, ano em que a criptomoedas teve sua maior popularidade e valor de mercado (U$ 20.000). 

As exchanges brasileiras declararam ter movimentado mais 301,390.78 Bitcoins até o momento. Se a média for mantida, ao final do ano as exchanges nacionais terão movimentado pouco mais de 400.000 Bitcoins, um recorde para o cenário de criptomoedas no Brasil.